A crescente produção de dados, dentro e fora do âmbito científico, tem promovido intensos debates sobre sua importância, usos, potencialidades, desafios e impactos nos diversos setores de uma sociedade conectada e global.

O movimento global de Ciência Aberta (Open Science) envolve o conjunto de políticas e ações para promover a ampla disseminação das descobertas científicas, de modo que os resultados de uma pesquisa sejam acessíveis a todos, passíveis de reutilização e de reprodução.

O objetivo principal do movimento é dinamizar a colaboração e acelerar o avanço da ciência, visando ao progresso científico, tecnológico, econômico, social e cultural.

Sendo este um debate ainda incipiente no Brasil e entendendo que a ampla adoção da Ciência Aberta (Open Science) se mostra necessária e urgente, o Grupo de Trabalho da ABC busca aprofundar as reflexões sobre os benefícios, riscos, possibilidades e desafios da ciência aberta (open science) no país. Isso terá evidentes implicações no uso e na forma de disponibilização de dados, de modo a se levar em conta a necessidade de se garantir a segurança dos dados e a privacidade dos usuários.

Este Grupo de Trabalho surgiu a partir do 1º Workshop Gerenciamento de Dados Científicos na América Latina e Caribe, realizado em 2018, na sede da ABC. Após o lançamento do documento Abertura e gestão de dados: desafios para a ciência brasileira, o GT ampliou sua abordagem para “ciência aberta” e trabalha em um novo documento sobre o assunto.

Em 2020, a ABC realizou o Webinário Desvendando a open science - benefícios, gargalos e desafios, e em 2021 o Workshop Latin America and Caribbean Scientific Data Management (veja os vídeos aqui).

 

Abertura e gestão de dados: desafios para a ciência brasileira
O objetivo do documento é introduzir temas relacionados à produção, abertura e gestão de grandes volumes de dados no exercício dos diversos campos científicos no país, alimentar o debate e subsidiar posicionamentos da ABC. 
Agosto/2020