A categoria de membro institucional da Academia Brasileira de Ciências foi criada em 1999, alterando o Estatuto em que constava a categoria membro corporativo. Esta categoria havia sido aprovada em Assembléia Extraordinária no ano de 1965, mas os primeiros membros corporativos só foram admitidos em 1996: Companhia Brasileira de Alumínio, Companhia Vale do Rio Doce, Eletrobras, IBM e Petrobras.

Tornar-se um membro institucional da ABC destaca o interesse da entidade no desenvolvimento da ciência brasileira. Em contrapartida, a ABC se dispõe a realizar um evento anual abordando tema de interesse de cada um dos seus membros institucionais, mediante proposta a ser detalhada em programação organizada em comum acordo. São admissíveis quaisquer entidades – convidadas pela Diretoria ou aprovadas por ela – que se disponham a contribuir financeiramente para a manutenção das atividades da ABC.

O Estatuto da ABC dispõe, no art. 9º, parágrafo único, que o título de membro institucional tem caráter temporário, devendo ser validado a cada ano, a critério da Diretoria – naturalmente, enquanto houver interesse da parte da entidade admitida. Os diplomas dos novos membros institucionais costumam ser entregues durante a Cerimônia de Posse dos Novos Acadêmicos, que ocorre dentro da Reunião Magna de cada ano.

Veja os membros institucionais com filiação vigente:

  • Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Goiás (Fapeg)
  • Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap)
  • Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa)
  • Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI).

Além do suporte dos membros institucionais, a ABC também conta com:

Apoio: Conselho Nacional de Desenvlvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Parcerias: Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa e L’Oréal

Agradecemos ainda à Rede Rio/Faperj.