pt_BR

De: 23 de setembro de 2020

Até: 2 de outubro de 2020

Local: www.abc.org.br/transmissao (PT) | www.abc.org.br/transmission (EN)

Em função do atual cenário em que se encontram o país e o mundo, a Academia Brasileira de Ciências decidiu realizar a Reunião Magna 2020 de forma virtual, com o tema “O mundo a partir da COVID-19”.

O objetivo do evento on-line é debater, com embasamento científico, o enfrentamento da pandemia e os desafios do futuro pós pandemia, relativos à saúde, à economia, à organização social e ao meio ambiente.

O momento pede que a comunidade científica se faça ouvir e leve à população informação de qualidade, primordial para o enfrentamento desta pandemia e a recuperação econômica e social do Brasil e do mundo.

DATAS E HORÁRIOS:

  • 23 de setembro | 4ª feira16h30 às 18h (GMT-3)
  • 25 de setembro | 6ª feira | 16h às 18h30 (GMT-3)
  • 29 de setembro | 3ª feira | 16h às 18h30 (GMT-3)
  • 2 de outubro | 6ª feira | 16h às 18h30 (GMT-3)

Confira a PROGRAMAÇÃO e inscreva-se gratuitamente!

 


Faça sua inscrição para receber seu certificado de participação!

Evento com tradução simultânea. Assista ao evento clicando em:
• Inglês: www.abc.org.br/transmission
• Português: www.abc.org.br/transmissao


 

SERVIÇO
Evento: Reunião Magna Virtual da ABC 2020: O mundo a partir da COVID-19
Inscreva-se gratuitamente: 
Evento no Facebook: FanPage
Local: www.abc.org.br/transmissao

23 DE SETEMBRO |4ª FEIRA | 16h00 (GMT-3) 



FRANCES H. ARNOLD | Conferência de Abertura
Evolução e química sustentável para agricultura

Ganhadora do Prêmio Nobel de Química 2018, pelo pioneirismo no uso de evolução dirigida para a engenharia de enzimas.

Arnold é professora Linus Pauling de engenharia química, bioengenharia e bioquímica no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech). É bacharel em engenharia mecânica e aeroespacial pela Universidade de Princeton e doutora em engenharia química pela Universidade da Califórnia em Berkeley, ambas nos EUA. Foi pós-doutoranda em Berkeley por um ano antes de ir para o Caltech.

 

PEDRO COELHO | Participação
Químico, é co-fundador e diretor-executivo da Provivi, Inc, startup de biotecnologia fundada em 2013 no Caltech, onde obteve seu PhD.

 


25 DE SETEMBRO |6ª FEIRA | 16h00 (GMT-3)


 

PETER HOTEZ | Conferência Magna
Prevenindo a próxima pandemia: diplomacia em vacinas em tempos de anticiência

O médico Peter Hotez é reitor da Escola Nacional de Medicina Tropical e professor de virologia e microbiologia molecular pediátrica no Baylor College of Medicine, onde também chefia o Centro para Desenvolvimento de Vacinas do Hospital Infantil do Texas. Ele lidera parceria de desenvolvimento de produtos para novas vacinas contra ancilostomose, esquistossomose, doença de Chagas e SARS/MERS.

Hotez graduou-se em medicina pelo Weil Cornell Medical College e em biofísica molecular na Universidade de Yale, onde obteve seu PhD na mesma área.

É membro da Academia Nacional de Medicina (EUA) e recebeu o Prêmio Abraham Horwitz pela Organização Pan-Americana da Saúde da OMS (2011).

Atuou como representante dos EUA em iniciativas de diplomacia de vacinas e lidera esforços nacionais contra a crescente ameaça “antivaxx”.

 


PAINEL: SAÚDE A PARTIR DA COVID-19
Moderador: Rubens Belfort, membro titular da ABC e presidente da Academia Nacional de Medicina (ANM)


 

ANNE JOHNSON
Após a primeira onda da COVID-19: desafios para a saúde e a sociedade numa visão do Reino Unido

É professora de epidemiologia de doenças infecciosas na University College London (UCL), onde é co-diretora da iniciativa “UCL Saúde do Público”.

Formou-se em medicina nas universidades de Cambridge e de Newcastle, especializando-se em epidemiologia e saúde pública. Por mais de 35 anos, desenvolveu estudos nacionais e internacionais sobre epidemiologia de HIV e da influenza.

É pesquisadora do Virus Watch, um grande estudo populacional sobre a transmissão de Covid -19, e do projeto I-Sense, que desenvolve novos caminhos para a detecção de doenças infecciosas. É membro do Comitê DELVE da Royal Society, que trata das respostas à pandemia COVID-19.

Co-dirigiu o Conselho de Pesquisa Médica e o Centro de Coordenação de Estudos Epidemiológicos de HIV e AIDS do Reino Unido. Foi consultora de vários organismos nacionais e internacionais e nomeada Dama Comandante do Império Britânico, na Lista de Honras do Aniversário da Rainha de 2013.

 

CESAR VICTORA
Epidemiologia da COVID-19 no Brasil: o que aprendemos em sete meses?

É médico pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), PhD em epidemiologia da assistência médica pela Escola de Higiene e Medicina Tropical da Universidade de Londres. Professor emérito de epidemiologia na Universidade Federal de Pelotas (UFPel).

Suas principais contribuições científicas incluem a documentação da importância do aleitamento materno exclusivo para prevenir a mortalidade infantil e a construção de curvas de crescimento infantil atualmente adotadas em mais de 140 países.

É professor visitante das Universidades de Harvard, Oxford e Johns Hopkins. Membro da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Academia Mundial de Ciências (TWAS, na sigla em inglês).

Assessorou a Organização Mundial da Saúde e a Unicef. Recebeu diversos prêmios e distinções de instituições nacionais e internacionais.

 

ESTER SABINO
Epidemiologia e diversidade genética do SARS-CoV-2 no Brasil

É professora do Departamento de Moléstias Infecciosas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

É a investigadora principal do programa dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH/EUA) “Recipient Epidemiology and Donor Evaluation Study-IV Pediatric” e do Centro de Pesquisa São Paulo-Minas Gerais para a Descoberta de Biomarcadores para Doenças Tropicais Negligenciadas.

Coordena o Estudo Translacional para a Identificação, Caracterização e Validação de Biomarcadores em Infecções por Arbovírus de Diferentes Graus de Gravidade (projeto PITE-Fapesp) e o Centro Brasil-Reino Unido para Descoberta, Diagnóstico, Genômica e Epidemiologia de Arbovírus (projeto Fapesp/MRC – Conselho de Pesquisa Médica do Reino Unido).

Dirigiu o Instituto de Medicina Tropical da USP de 2015 a 2019.

 


29 DE SETEMBRO |3ª FEIRA | 16h00 (GMT-3)


 

JEFFREY SACHS | Conferência Magna

Sachs é professor e diretor do Centro para o Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Columbia e membro da Comissão de Banda Larga para o Desenvolvimento Digital das Nações Unidas.

Tem renome mundial como economista, autor de best-sellers, educador inovador e líder global em desenvolvimento sustentável. Serviu como conselheiro especial dos Secretários-Gerais da ONU Kofi Annan, Ban Ki-moon e António Guterres.

Foi um dos dois ganhadores do Prêmio Blue Planet 2015, o principal prêmio global de liderança ambiental.

Ele é amplamente conhecido por estratégias ousadas e eficazes para enfrentar desafios complexos, incluindo hiperinflação, a transição do planejamento central para economias de mercado, o controle da AIDS, malária e outras doenças, a fuga da pobreza extrema e a batalha contra mudança climática induzidas por humanos.

 


PAINEL | AMAZÔNIA: DESAFIOS PARA O SÉCULO XXI
Moderador: Adalberto Val, vice-presidente Regional Norte da ABC


 

MARIA FERNANDA ESPINOSA GARCÉS
Iniciativas para a descolonização da Amazônia

Equatoriana, foi ministra de Relações Exteriores, da Defesa e ministra coordenadora de Herança Cultural e Natural.

Foi professora associada e pesquisadora da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais, onde fez o mestrado e recebeu bolsas da Fundação Ford, Fundação Rockefeller, Fundação Natura, Agência Alemã de Cooperação e outras para desenvolver seus estudos sobre a Amazônia. Graduou-se também em linguística aplicada, pela Pontifícia Universidade Católica do Equador.

Por mais de dez anos foi assessora especial do presidente da Assembleia Constituinte que estruturou a Constituição do Equador, em 2008. Foi diretora regional para a América do Sul e consultora de biodiversidade na União Internacional para Conservação da Natureza, em Genebra, onde também atuou nas Nações Unidas, como representante permanente de seu país.

Tem mais de 20 anos de experiência internacional em negociações de paz, segurança, defesa, desarmamento, direitos humanos, povos indígenas, igualdade de gênero, desenvolvimento sustentável, ambiente, mudanças climáticas e cooperação multilateral.

 

CARLOS NOBRE
Amazônia está próxima do ponto de não retorno: a necessidade de um nova bioeconomia de floresta em pé

Graduado em engenharia eletrônica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e doutor em meteorologia pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês).

Coordena o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas e preside o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas.

É pesquisador aposentado do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA). Foi coordenador-geral do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE).

Foi membro do Painel Consultor de Alto Nível em Sustentabilidade Global do Secretário Geral da ONU.

Participou de vários relatórios do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). Em particular, foi um dos autores do 4o Relatório de Avaliação do IPCC, agraciado com o Prêmio Nobel da Paz (2007).

É membro titular da Academia Brasileira de Ciências, da Academia Mundial de Ciências (TWAS) e membro estrangeiro da National Academy of Science (NAS).

 

JOSÉ GREGÓRIO MIRABAL

É o coordenador-geral da Coordenadoria das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica (COICA), que reúne organizações indígenas dos nove países da região amazônica, da Venezuela. De acordo com a COICA, ela representa 511 comunidades indígenas que vivem na Amazônia e protege 66 tribos não-contactadas o voluntariamente isoladas.

Anteriormente, Mirabal coordenou a Organização Regional dos Povos Indígenas do estado Amazonas (ORPIA), uma das entidades que compõem a COICA.

Mirabal foi um dos representantes indígenas que participaram do Sínodo dos Bispos de 2019, no Vaticano, em Roma, com o Papa Francisco. No destacado evento, as discussões foram focadas em soluções para os problemas ecológicos e sociais da Amazônia.

 


2 DE OUTUBRO, 6ª FEIRA, 16h00



JEAN TIROLE | Conferência Magna
Economia e o Bem Comum após a COVID-19

Ganhador do Prêmio Nobel em Ciências Econômicas 2014.

É presidente honorário da Fundação JJ Laffont da Toulouse School of Economics (TSE) http://www.jjlaffont.org/en/  e diretor científico da TSE-Partnership  https://www.tse-fr.eu/tsepartnership .

Tirole atua como professor visitante do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT), da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais (França) e do Instituto da Françe.

Suas pesquisas envolvem organização industrial, regulamentação, finanças, macroeconomia e bancos, e economia baseada em psicologia.

Recebeu várias distinções internacionais, incluindo a Medalha de Ouro do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) em 2007.

 


PAINEL: FUTURO PÓS PANDEMIA
Moderador: Luiz Davidovich, presidente da ABC


 

CELSO LAFER
O mundo das relações internacionais pós-pandemia e os desafios da diplomacia brasileira

Graduado em direito pela Universidade de São Paulo (USP), cursou mestrado e doutorado em ciência política na Universidade de Cornell, nos EUA. Obteve a livre-docência em direito internacional público na USP, onde foi professor titular de filosofia do direito (1988-2011), quando se aposentou. É Doutor Honoris Causa de diversas universidades ao redor do mundo.

É presidente do Conselho do Museu Lasar Segall e da Fundação Cultural Ema G. Klabin. Preside, ainda, o Conselho Deliberativo da União Brasileiro-Israelita do Bem Estar Social (Unibes) e o Conselho Consultivo do Hospital Israelita Albert Einstein. É membro da Corte Permanente de Arbitragem Internacional de Haia desde 2002.

Foi presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp (2007-2015). Foi ministro de Relações Exteriores e ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Como embaixador, chefiou a Missão Permanente do Brasil junto às Nações Unidas e à Organização Mundial do Comércio (OM), em Genebra. Foi presidente do Órgão de Solução de Controvérsias da OMC.

Recebeu o Prêmio Jabuti (1989), o Prêmio da APCA na área Biografia/Memória (2013) e o Prêmio Moinho Santista da Fundação Bunge, na área de Relações Internacionais (2001).

É membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e da Academia Brasileira de Letras (ABL).

 

HELENA B. NADER
O futuro da saúde: uma visão global

É vice-presidente da Academia Brasileira de Ciências e co-presidente da InterAmerican Network of Academies of Sciences (IANAS, 2019-2021).

É professora titular da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) desde 1989, onde obteve o bacharelado em ciências biomédicas e o doutorado em biologia molecular. Fez a licenciatura em biologia pela Universidade de São Paulo (USP) e estágio de pós-doutorado pela University of Southern California, com bolsa da Fogarty (NIH).

Seus trabalhos envolvem glicoquímica e glicobiologia, estando voltados para o estudo da estrutura e função biológica de proteoglicanos, em especial de heparina e heparam sulfato, com especial ênfase a função desses compostos na hemostasia, no controle da divisão celular e na transformação celular.

Atuou como professor visitante em instituições nos EUA e na Itália. Exerceu várias funções de gestão acadêmica. É membro de diversos Conselhos e assessora de diversos periódicos nacionais e internacionais.

Recebeu diversas honrarias, dentre as quais a Comenda e a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Mérito Científico, do governo brasileiro; Classics in Cell Biology, da Sociedade Brasileira de Biologia Celular (SBBC), 2018; Science Service Award, Federação de Sociedades de Biologia Experimental (Fesbe), 2018; Ordem do Mérito Naval, grau Comendador do quadro Suplementar, Marinha do Brasil, 2018; Grão-Mestre da Ordem Nacional do Mérito Educativo, da Presidência da República, 2018; entre outros. É presidente de honra da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que presidiu por nove anos.

 

MARCO LUCCHESI
A cultura: um projeto de unidade

É presidente da Academia Brasileira de Letras e professor titular de literatura comparada na Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Formou-se em história pela Universidade Federal Fluminense (UFF), obteve os títulos de mestre e doutor em ciência da literatura pela UFRJ e fez pós-doutorado em filosofia da renascença pela Universidade de Colônia, na Alemanha.

É professor-visitante da Fiocruz e em universidades da Europa e América Latina. Recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade Tibiscus, em Timisoara (2016) e pela Universidade Aurel Vlaicu, em Arad, ambas na Romênia (2020).

Desenvolve projetos literários e educativos em comunidades, associações comunitárias, escolas e prisões cariocas. Vem organizando intercâmbios culturais da ABL com escolas, hospitais, bibliotecas, instituições socioeducativas e com a Marinha do Brasil, através de visitas e palestras seguidas de doação de livros e de computadores. Também tem realizado acordos internacionais com outras academias e instituições de cultura, como a Academia Alemã de Linguagem e Poesia, a Academia Nacional de Lincei, na Itália, e a Real Academia Galega.

Integra diversos Conselhos de revistas literárias. Atuou como coordenador geral de Pesquisa e Editoração da Biblioteca Nacional e foi membro do Conselho Nacional de Política Cultural do Ministério da Cultura.

É colunista de vários jornais e revistas. Foi o responsável pela grande exposição “Biblioteca Nacional 200 anos: uma defesa do infinito”, curador da exposição: “Rio de Janeiro 450 anos, uma História do Futuro” e sobre o gênio de Leonardo da Vinci, com a mostra “Alma do Mundo: Leonardo 500 anos”.

É membro de diversas instituições, como a Academia das Ciências de Lisboa; a Academia Lucchese de Ciências, Letras e Artes; a Academia Paraguaia da Língua Espanhola; o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e a Sociedade Brasileira de Geografia, dentre muitas outras.

Dentre os diversos prêmios e títulos que recebeu, destacam-se o Prêmio Jabuti, do Brasil; o Prêmio Marin Sorescu, da Romênia; o título de Cavaleiro da República Italiana e o Prêmio Alceu Amoroso Lima pela obra poética.