pt_BR

Prorrogação: vaga de estágio aberta na editoria dos Anais da ABC

A Academia Brasileira de Ciências (ABC) abriu processo seletivo para vaga de estágio na editoria dos Anais da ABC (AABC). A carga horária é de 30h semanais, com bolsa de R$ 1.200, vale alimentação de R$ 38,96 por dia e auxílio transporte no valor de R$320,00. A ABC fica no Centro do Rio de Janeiro.

Publicados pela primeira vez em 1929, os Anais da ABC são a mais antiga revista científica em circulação contínua no país. Seu conteúdo é multidisciplinar e recebe submissões de autores do Brasil e do exterior, fazendo parte da biblioteca eletrônica online Scielo. Atualmente, o editor-chefe dos AABC é o membro titular Alexander Kellner.

O candidato deve estar matriculado em curso superior de LETRAS-ESPECIALIDADE PORTUGUÊS/INGLÊS, entre o 2º e o 5º período, e ter inglês avançado em leitura e escrita. O prazo foi prorrogado: os interessados devem enviar todo o material requisitado no edital até o dia 5 de maio de 2024.

Acesse o edital completo.

 

Faperj lança edital inédito para mães cientistas

No dia 2 de maio, em comemoração ao mês das mães, a FAPERJ lançou o edital inédito Apoio às Cientistas Mães com Vínculo em ICTs do Estado do Rio de Janeiro, uma parceria com o Instituto Serrapilheira e com o movimento Parent in Science. O objetivo do edital é apoiar e incentivar professoras/pesquisadoras – com vínculo empregatício em Instituições de Ciência e Tecnologia (ICTs) sediadas no Estado do Rio de Janeiro – que se tornaram mães nos últimos 12 anos, com a concessão de auxílio pesquisa no valor de R$ 120 mil, para apoio das atividades científicas durante o período de reentrada da pesquisadora na vida acadêmica após a maternidade. Uma bolsa de Iniciação Científica poderá ser incluída neste orçamento.

É a primeira vez que o órgão de fomento à pesquisa fluminense lança um edital específico para cientistas que são mães. O projeto teve embasamento teórico e parte do financiamento pelo Parent In Science, movimento brasileiro que se tornou referência no mundo ao ganhar o “Prêmio de Mulheres Inspiradoras na Ciência”, da revista Nature, em 2021, pela divulgação de dados relevantes para os estudos acadêmicos de desigualdade de gênero. Inspirada em experiências internacionais, a iniciativa visa diminuir o esperado impacto da maternidade sobre as atividades acadêmicas da professora/pesquisadora. Igualmente de maneira inédita, o programa ora anunciado também contempla mães de pessoas com deficiência, que poderão submeter uma proposta independentemente da idade do filho ou filha.

A diretora Científica da FAPERJ, Eliete Bouskela, destaca a importância de ações de apoio à maternidade. “Desde o início de minha gestão à frente da Diretoria Científica da Fundação, ações de apoio à maternidade têm sido uma de minhas prioridades”, lembra. “Conseguimos avanços importantes, tais como licença-maternidade para as bolsistas, avaliação diferenciada do currículo Lattes de cientistas mães e permissão da rubrica de recreação infantil no edital de eventos. Este edital é mais uma ação no sentido de apoiar nossas cientistas e permitir que conciliem suas carreiras com a maternidade”, disse.

As propostas aprovadas neste edital serão financiadas com recursos no valor global de R$ 2,3 milhões, definidos na programação orçamentária da FAPERJ e/ou do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico – FATEC; os projetos selecionados receberão dotações da FAPERJ de até R$ 110 mil cada, além de R$ 10 mil adicionais provenientes do Instituto Serrapilheira.

Para o presidente da FAPERJ, Jerson Lima, o edital é uma das ações da Fundação em atendimento a uma demanda das cientistas que encontram dificuldade de retornar, ou mesmo iniciar, uma carreira acadêmica mais consolidada após o nascimento de filhos. “É uma política pública importante para apoiar nossas cientistas e minimizar a desigualdade de gênero”, ponderou.

Para a diretora de Ciência do Serrapilheira, Cristina Caldas, o edital é um marco para o sistema de fomento brasileiro no quesito diversidade e, sobretudo, para reduzir a desigualdade de gênero na ciência nacional. “Um edital como esse sinaliza a importância de reconhecer que mulheres são especialmente afetadas por interrupções em suas carreiras, e que elas podem sim continuar sendo competitivas mesmo depois de terem filhos”, afirmou. “Sabemos do impacto que a maternidade tem na produção científica das mulheres, por isso o sistema de fomento tem que olhar com cuidado para essas interrupções, não deixando de valorizar as cientistas mães”, complementou Cristina.

Serão contempladas, ao menos 21 propostas, distribuídas para cada um dos Colégios estabelecidos pela CAPES: (1) Ciências da Vida, (2) Humanidades e (3) Ciências Exatas, Tecnológicas e Multidisciplinar proporcional a demanda recebida (Áreas de avaliação CAPES).

Segundo Fernanda Staniscuaski, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), coordenadora do movimento Parent in Science, a iniciativa conjunta com a FAPERJ e o Instituto Serrapilheira representa uma ação pioneira no Brasil, destacando o compromisso em apoiar mães cientistas. “Ao oferecer suporte específico para a continuidade da carreira após a maternidade, esse edital não apenas reconhece os desafios enfrentados pelas mulheres na ciência, mas também promove a equidade de gênero e estimula a diversidade no ambiente acadêmico. O impacto será imenso”, avaliou.

Professora da Universidade Federal Fluminense (UFF) e presidente da Comissão Permanente de Equidade, Diversidade e Inclusão da FAPERJ, Leticia de Oliveira considera o edital um marco histórico entre as agências de fomento à pesquisa no País, já que até o presente não há editais de financiamento exclusivos para cientistas mães. “Esperamos que estas iniciativas se popularizem e contribuam de maneira efetiva para a consolidação das carreiras acadêmicas destas mulheres. Não há razão para que as mães não possam ser cientistas ou vice versa”, defendeu.

Clique e acesse a íntegra do edital no link abaixo:

Edital FAPERJ Nº 10/2024 – Programa Apoio às Cientistas Mães com Vínculos em ICTs do Estado do Rio de Janeiro

Grupo L’Oréal lança nova premiação científica voltada para a área de dermatologia de peles negras

O Grupo L’Oréal, parceiro da Academia Brasileira de Ciências na realização do prêmio Para Mulheres na Ciência, está com uma nova premiação no Brasil voltada para pesquisadores na área da dermatologia de peles negras. O Prêmio “Dermatologia + Inclusiva” busca reconhecer e estimular pesquisas realizadas no Brasil que contribuam para o avanço do estudo de questões dermatológicas de pessoas negras em quatro territórios: fotoproteção & hiperpigmentação, acne & pele oleosa, barreira da pele, couro & fibra capilar.

Para garantir imparcialidade e lisura, a seleção dos quatro vencedores da premiação é feita por uma comissão multidisciplinar de especialistas renomeados no Brasil e no mundo, que analisará os projetos quanto aos critérios técnicos de cada um. O júri é composto por Jaqueline Goes, biomédica, mestra em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa e Doutora em Patologia Humana, Sérgio Schalka, dermatologista graduado e pós-graduado pela Faculdade de Medicina da USP, Patrícia Maia Campos, farmacêutica com mestrado e doutorado na Universidade de São Paulo, Marco Rocha, dermatologista, mestre e PhD e Francisca Regina, professora Titular de Dermatologia da Universidade do Estado do Pará.

As inscrições podem ser realizadas pelo site até o dia 31 de julho de 2024.  Para participar do prêmio, o candidato precisa ter pelo menos a graduação concluída e não precisa ser necessariamente dermatologista. Qualquer pessoa que esteja realizando pesquisa científica translacional que demonstre contribuição para a área de dermatologia, incluindo pesquisadores de diversas áreas do conhecimento como ciências exatas e biológicas, voltadas para pele e cabelo de pessoas negras, pode entrar. A premiação, com valor total de R$200 mil, será concedida através de 4 prêmios individuais de R$50 mil e os vencedores serão anunciados em novembro de 2024.

Inscreva-se!

Academia Chinesa de Ciências lança programa de bolsas para pesquisadores estrangeiros

Como parte da Década das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Academia Chinesa de Ciências (CAS) e a Aliança de Organizações Científicas Internacionais (Anso) criaram conjuntamente o programa de bolsas CAS-ANSO. A bolsa aceita inscrições de cientistas e especialistas em cooperação internacional não-chineses para fazer visitas de curto prazo ou passar meses fazendo pesquisas in loco em instituições e universidades vinculadas a CAS. As categorias são:

Categoria I: Bolsa de Parceria ANSO

Elegibilidade: Pesquisadores sêniores e pessoal administrativo de instituições científicas e educacionais fora da China. Será dada prioridade aos membros da ANSO.

Período de tempo: 1-2 semanas.

Subsídio: RMB (Yuan Chinês) 10.000/semana + subsídio único de viagem de ida e volta.

Categoria II: Bolsa de Cientistas Visitantes da ANSO

Elegibilidade: Acadêmicos de instituições científicas e educacionais fora da China. Eles poderiam ser professores assistentes (incluindo pós-doutorandos), professores associados, professores ou profissionais de nível comparável em áreas afins.

Período de tempo: 1-6 meses.

Financiamento:

15.000 RMB/mês (antes de impostos) para professores assistentes (incluindo pós-doutorandos) ou profissionais de nível comparável. Um subsídio de viagem de ida e volta;

25.000 RMB/mês (antes de impostos) para professores associados ou profissionais de nível comparável. Um subsídio de viagem de ida e volta;

RMB 35.000/mês (antes de impostos) para professores titulares ou profissionais de nível comparável, Um subsídio de viagem de ida e volta.

Categoria III: Bolsa de ex-alunos CAS-ANSO

Elegibilidade: graduados da Bolsa CAS-TWAS / Programa de Bolsas de Mestrado CAS “The Belt and Road” / Bolsa CAS-ANSO (anteriormente conhecida como Bolsa ANSO para Jovens Talentos) que trabalham em áreas de C&T nos países e regiões da iniciativa Belt and Road chinesa

Período de tempo: 1-2 semanas.

Financiamento:

RMB 10.000/semana (antes de impostos) + subsídio de viagem de ida e volta.

A análise da primeira rodada para 2024 será realizada entre 11 de maio de 2024 e meados de junho. As inscrições recebidas após 10 de maio de 2024 não serão processadas até a próxima rodada de análise (horário a ser determinado posteriormente).

Para mais informações, acesse.

Prêmio Marta Vanucci para Mulheres na Ciência do Oceano está com inscrições abertas

O Prêmio Marta Vannucci para Mulheres na Ciência do Oceano busca destacar e reconhecer o trabalho de mulheres que atuam na produção de conhecimento sobre o mar no Brasil e para o fortalecimento da participação de mulheres na ciência, inspirado na trajetória e pioneirismo da bióloga Marta Vannucci (1921 – 2021), membra da Academia Brasileira de Ciências e pioneira nos estudos oceanográficos brasileiros.

Idealizado pela Cátedra UNESCO para Sustentabilidade do Oceano, ligada ao Instituto Oceanográfico e Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo, pela Liga das Mulheres pelo Oceano e pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) o prêmio incentiva a equidade de gênero no avanço de uma ciência justa, equilibrada, criativa e produtiva.

O prêmio se divide em duas categorias: Cientista Inspiração Sênior, para pesquisadoras consolidadas, com mais de 20 anos de carreira científica na área; e Jovem Cientista, para pesquisadoras com menos de 35 anos e que concluíram doutorado há, no máximo, seis anos. Inscrições vão até o dia 15 de abril.

Para mais informações e inscrições, acesse.

 

 

 

Prêmio Fundação Bunge premiará cientistas brasileiros da área de ciências agrárias e aplicadas

A edição deste ano do Prêmio Fundação Bunge terá “Rastreabilidade na produção de alimentos: segurança alimentar, capacitação e redução de assimetrias regionais” e “Desenvolvimento e uso de tecnologias e conectividade acessíveis para a sustentabilidade no campo” como temas na área de Ciências Agrárias e Aplicadas, de acordo com definição realizada pelo Conselho Administrativo da Fundação. Entidades científicas e universidades poderão indicar pesquisadores dentro das duas temáticas do prêmio nas categorias Vida e Obra e Juventude (até 35 anos). As indicações poderão ser feitas até 30 de maio. A cerimônia de entrega do Prêmio Fundação Bunge será realizada em setembro de 2024, na capital paulista.

Criado em 1955, o Prêmio Fundação Bunge foi inspirado no Nobel e tem o objetivo de incentivar a inovação e a disseminação do conhecimento, reconhecer profissionais que contribuem para o desenvolvimento da cultura e das ciências no Brasil, além de estimular novos talentos.

“Trata-se de uma das principais premiações científicas do país. Há quase 70 anos reconhecemos cientistas de diferentes áreas do conhecimento. A partir deste ano, porém, a Fundação, por meio de seu Conselho, definiu que o prêmio focará nas Ciências Agrárias e Aplicadas, área bastante alinhada com o setor de atuação da Bunge”, afirma Cláudia Calais, diretora-executiva da Fundação Bunge.

Os dois pesquisadores laureados na categoria Vida e Obra receberão premiação em dinheiro no valor bruto de R$ 200 mil. Já os dois agraciados na categoria Juventude receberão R$ 80 mil.

Entenda como funciona o Prêmio Fundação Bunge

O Prêmio Fundação Bunge tem como premissa que as indicações dos nomes dos cientistas sejam feitas por representantes das principais universidades e entidades científicas do país. Os currículos recebidos são avaliados por comissões técnicas independentes formadas por especialistas.

Mais de 200 personalidades brasileiras já foram agraciadas com o Prêmio Fundação Bunge. Entre eles estão Mariangela Hungria, Adalberto Luis Val, Erico Veríssimo, Hilda Hilst, Jorge Amado, Lygia Fagundes Telles, Manuel Bandeira, Rachel de Queiroz, Oscar Niemeyer, Carlos Chagas Filho, Gilberto Freyre, Paulo Freire, Celso Lafer e Fernando Abrucio.

Para saber mais, acesse aqui.

O Acadêmico Adalberto Val (à esquerda) foi um dos premiados pela Fundação Bunge em 2023 (Foto: Fundação Bunge)

Inscrições abertas para o Prêmio CBMM de Ciência e Tecnologia 2024

Está aberto o período de inscrições do Prêmio CBMM de Ciência e Tecnologia 2024, que vai até o dia 19 de abril.  A iniciativa da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), está na 6ª edição, com o tema “Para as mentes que criam novos amanhãs”.

 A premiação é dividida em duas categorias: Ciência, que reconhece pesquisadores e equipes brasileiras com destaque no cenário científico global; e Tecnologia, que prestigia profissionais que desenvolvem aplicações práticas e, com isso, promovem impactos positivos e relevantes. Serão dois vencedores, um por categoria, que receberão o prêmio de R$ 500 mil cada.

 O Prêmio CBMM é destinado a profissionais de todo o país que tenham concebido produtos, processos, metodologias ou serviços inovadores nas áreas de Ciências da Computação, Ciências da Terra, Ciências da Vida, Engenharias, Física, Matemática e Química. Instituições de ensino, associações e empresas também podem indicar candidatos ao Prêmio. A participação é gratuita, sem taxas de inscrição ou qualquer outra despesa.

 Uma comissão julgadora independente irá avaliar as iniciativas. O anúncio dos ganhadores acontecerá até agosto.

Acesse o site do Prêmio para todas as informações.

 

teste