Português > Notícias > Manifesto em defesa das instituições estaduais de ensino superior


Manifesto em defesa das instituições estaduais de ensino superior

  • Compartilhe:

Publicado em 18/07/2017

Confira o manifesto assinado por membros afiliados da Regional Rio de Janeiro da Academia Brasileira de Ciências (ABC) contra o descaso com que o Governo do Estado tem tratado o corpo docente, discente e técnico administrativo das universidades estaduais: Uerj, Uezo e Uenf.

AOS PODERES PÚBLICOS ESTADUAL E FEDERAL E À POPULAÇÃO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, CARTA ABERTA EM DEFESA DAS UNIVERSIDADES ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO”

Nós, membros afiliados da Academia Brasileira de Ciências, manifestamos nossa indignação e profunda preocupação com a dramática situação vivida pelo corpo docente, discente e técnico administrativo das Universidades Estaduais do Rio de Janeiro (UERJ, UEZO e UENF), que vêm sofrendo com continuadas ações de descaso e abandono por parte do governo estadual.

Instituições estaduais, como a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), registram em sua trajetória reconhecimento Nacional e Internacional e constituem sem dúvida um dos maiores patrimônios do Estado do Rio de Janeiro, servindo e interagindo com a população e oferecendo cursos de graduação e pós-graduação de expressiva qualidade. Somam-se à sua importância as atividades dos colégios de aplicação, cursos de especialização e extensão, o atendimento à saúde da população através do Hospital Universitário Pedro Ernesto e da Policlínica Piquet Carneiro, todos ameaçados com a atual política de sucateamento dessas instituições, por parte do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Ao longo de sua trajetória, a UERJ destacou-se por sua qualidade e pelo pioneirismo em algumas ações no estado, dentre elas a implantação do sistema de cotas. Também integram o corpo de instituições Estaduais de prestígio a UENF, Universidade que atinge posições de destaque no ranking das Universidades Estaduais em vários quesitos e a mais jovem, UEZO, criada para levar pesquisa, ensino, extensão e desenvolvimento para a Zona Oeste do Estado do Rio de Janeiro.

A este cenário de destruição da educação pública, da ciência de qualidade e, portanto, da perspectiva de desenvolvimento socioeconômico do Estado, acrescenta-se a situação atual da FAPERJ, que em função das mesmas políticas de abandono, não consegue disponibilizar recursos de auxílios à pesquisa desde 2016, mantendo com muito custo, e de forma precária, e com atrasos o seu programa de bolsas.

No início de maio de 2017, a Academia Brasileira de Ciências reconheceu mais uma vez o mérito de uma das principais instituições estaduais ao eleger dois jovens pesquisadores da UERJ como novos membros afiliados da ABC. Estes jovens pesquisadores representam o futuro do qual a UERJ não pode prescindir e que, assim como todos os outros docentes das três instituições, possuem sua trajetória ameaçada em função da incapacidade do Estado em dar continuidade aos investimentos em ensino e pesquisa, tão necessários para o desenvolvimento de projetos de inovação estratégicos para o crescimento socioeconômico do Estado e do País.

De forma contrastante às suas belas trajetórias, as universidades estaduais agora vivem uma realidade diferente, a realidade do abandono e do descaso, que resultou no atraso do início de suas atividades acadêmicas por falta de pagamento de custeio para manter suas funções básicas. Seus corpos de funcionários não estão com os salários em dia e resistem de forma heroica para proteger esse patrimônio. Não podemos deixar que esta luta seja menosprezada e acabe sendo apagada pela incompetência do estado na gestão de recursos públicos. Entendemos que o abandono e o descaso que levaram a UERJ, UENF e UEZO à esta situação correspondem a um laboratório do que pode ocorrer em outras instituições de ensino superior em todo o país. Desta forma, em nome das instituições de ensino superior coirmãs da UERJ, UENF e UEZO, os membros afiliados da ABC manifestam publicamente a sua indignação e registram neste manifesto um apelo para que os poderes públicos estadual e federal retomem o compromisso financeiro e social com as suas Universidades e que ações imediatas e enérgicas sejam tomadas para minimizar os danos já causados e assegurar os patrimônios intelectual, científico e tecnológico dessas instituições, conquistados e defendidos pelo seu corpo social ao longo de sua trajetória.

O corpo social e a população do Estado do Rio de Janeiro se orgulham da UERJ, UENF e UEZO. Os membros afiliados da Academia Brasileira de Ciências não pensam de forma diferente e registram neste manifesto a importância de sairmos em defesa dessas instituições.

Em apoio às suas Instituições coirmãs do Estado do Rio de Janeiro, assinam pelos membros afiliados das IFES e dos Institutos de Pesquisa sediados no Rio de Janeiro:

Kildare Miranda – Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho  - UFRJ
Wagner Seixas - Instituto de Bioquímica Médica Leopoldo DeMeis – UFRJ
Artur Ziviani  – Laboratório Nacional de Computação Científica/RJ
Leonardo Avilla – Instituto de Biociências - UNIRIO
Thiago Moreno L. Souza – CDTS – FIOCRUZ/RJ
Rodrigo Nunes da Fonseca  – NUPEM/UFRJ - Campus Macaé
Fernando de Carvalho – Instituto de Química - UFF
Emanuel Carneiro  – IMPA/RJ


(Ascom ABC)


Notícias


Rua Anfilófio de Carvalho, 29/3º
Centro - Rio de Janeiro - RJ - Brasil
Cep: 20030-060

[+55] (21) 3907-8100

[+55] (21) 3907-8101

Fale conosco

webTexto é um sistema online da Calepino