O Fórum Mundial de Ciência (WSF, na sigla em inglês) foi criado a partir da “Conferência Mundial sobre Ciência para o Século XXI: Um Novo Compromisso”, realizada em 1999, em Budapeste (Hungria). Com o sucesso da atividade e impulsionados pela necessidade de diálogo entre a comunidade científica e a sociedade, a Academia Húngara de Ciências a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO, na sigla em inglês), o Conselho Internacional de Ciência (então ICSU, hoje ISC, na sigla em inglês), a Associação para o Progresso da Ciência dos EUA (AAAS, na sigla em inglês) e o governo da Hungria decidiram organizar, a cada dois anos, o Fórum Mundial de Ciência.

Tradicionalmente realizado em Budapeste, o  evento busca fornecer à comunidade científica e aos formuladores de políticas públicas uma plataforma global para trocar, discutir e harmonizar suas idéias em relação à crescente interdependência da ciência com a sociedade. O WSF sempre ocorre em datas próximas ao dia 10 de novembro, escolhido pela UNESCO como o Dia Mundial da Ciência a Serviço da Paz e do Desenvolvimento.

A edição de 2009, que celebrava o décimo aniversário da iniciativa, significou, também, o início de uma nova era na história do Fórum Mundial da Ciência. Para distribuir as conquistas deste empreendimento e torná-lo um verdadeiro evento global, a Academia Brasileira de Ciências (ABC) apresentou uma proposta de mudança da dinâmica do WSF, de forma que este passasse a ser realizado alternadamente na Hungria e em outros países. A sugestão da ABC foi acolhida pela Academia Húngara de Ciências e o Brasil se ofereceu para receber, no Rio de Janeiro, o Fórum Mundial de Ciência 2013, a primeira edição do evento fora da Hungria.

Atualmente, o WSF é o principal evento da política científica global. A cada edição, cientistas, políticos, tomadores de decisão e representantes da sociedade civil vêm conduzindo um frutífero diálogo sobre questões cruciais que afetam o mundo científico e a sociedade simultaneamente.

Para acompanhar a participação da Academia Brasileira de Ciências e de seus membros no Fórum Mundial de Ciência, acesse os Relatórios de Atividades da ABC.