Academia Mundial de Ciências para o avanço da ciência em países em desenvolvimento (TWAS, na sigla em inglês) foi fundada em 1983 por um grupo distinto de cientistas do mundo em desenvolvimento (inclusive brasileiros), sob a liderança de Abdus Salam, físico paquistanês e ganhador do Nobel. A TWAS é associada à Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e trabalha para apoiar a prosperidade sustentável por meio de pesquisa, educação, política e diplomacia. A organização tem membros de mais de 100 países, sendo a grande maioria provenientes de nações em desenvolvimento – os demais são cientistas e engenheiros de países desenvolvidos cujos trabalhos tiveram um impacto significativo no mundo em desenvolvimento.

A organização possui estrutura administrativa composta por um Conselho, eleito pelos membros e incumbido de definir a ampla política e a direção programática da Academia; e por um Comitê Diretor, responsável pelo uso coordenado e racional de todos os recursos da TWAS. Entre as funções do Conselho, destacam-se a presidência e a secretaria-geral, ambas já ocupadas por membros titulares da ABC: Jacob Palis Jr., então presidente da ABC, ocupou a presidência da TWAS entre 2007 e 2012; e Luiz Davidovich, presidente da ABC, atua como secretário-geral da organização (2019-2022).

Adicionalmente, a TWAS estabeleceu cinco escritórios (parceiros) regionais para ajudar a organizar atividades e disseminar informações. No caso da América Latina e Caribe, o escritório está localizado na sede da ABC, no Rio de Janeiro. Os demais encontram-se em Alexandria (Egito), Pequim (China), Pretória (África do Sul) e Bangalore (Índia).

Parceiro Regional da TWAS para América Latina e Caribe (TWAS-Lacrep)

Criado em 2004, o Parceiro Regional da TWAS para a América Latina e Caribe (TWAS-Lacrep, na sigla em inglês) tem a função de estimular uma maior integração entre os membros latino-americanos e caribenhos e destes com outros membros da organização. Além disso, o escritório tem o objetivo de nomear cientistas como membros e para prêmios, selecionar jovens afiliados e organizar conferências.

O parceiro regional da TWAS sediado na ABC é mais uma das conquistas da Academia Brasileira de Ciências no plano da chamada diplomacia da ciência, que gerou importante acréscimo nas atividades internacionais da Academia. Outro exemplo é que, desde a sua fundação, o TWAS-Lacrep sempre foi coordenado por membros titulares da ABC: Carlos Alberto Aragão de Carvalho Filho (2004-2008), Marcelo Viana (2008-2010), Antonio Carlos Campos de Carvalho (2010-2013), Vivaldo Moura Neto (2013-2019) e Virgílio Augusto Fernandes Almeida (a partir de 2019).

Para acompanhar a participação da Academia Brasileira de Ciências na TWAS e a atuação do TWAS-Lacrep, acesse os Relatórios de Atividades da ABC.