Rede-Rio comemora 25 anos com novos desafios

  • Compartilhe:

Publicado em 22/05/2017

Criada para atender e interconectar universidades, centros de pesquisa e órgãos públicos, a Rede-Rio de Computadores/Faperj completa 25 anos neste mês. Para marcar a data, a rede, que proporciona acesso à Internet às instituições de ciência, tecnologia e educação sediadas em território fluminense e também ao governo do estado do Rio de Janeiro, promove, quinta-feira, dia 25 de maio, a partir das 10h, um workshop no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), na Rua Dr. Xavier Sigaud, 150, Urca (Zona Sul do Rio). Vice-presidente da regional Rio da ABC, a professora Lucia Previato vai representar a academia no evento. 

Inaugurada em 1992, em iniciativa da Faperj, a maior parte da Rede-Rio conta como uma infraestrutura óptica de grande capacidade, construída em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização social ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), mantida em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), Cultura (MinC) e Saúde (MS), responsável por operar e desenvolver a Internet acadêmica brasileira. São cerca de 350 quilômetros de fibras óticas que atendem a 150 instituições de ensino, pesquisa, cultura, além de órgãos públicos.

O mergulho no ambiente virtual suportado pela rede possibilita um universo quase ilimitado de aplicações. Entre eles, destacam-se a integração à rede dos hospitais públicos de ensino e pesquisa no Rio de Janeiro; a inserção de instituições de cultura, como o Museu do Amanhã; acesso ao supercomputador Santos Dumont, reconhecido como o mais rápido da América Latina, que fica no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis; acesso ao sistema de Hora Legal do Brasil, no Observatório Nacional (ON), e ao Programa Farmácia Popular, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Na cidade do Rio de Janeiro, a malha óptica da rede se concretiza com a Redecomep-Rio, resultado de um consórcio que une, além da RNP e da Rede-Rio/FAPERJ, a Prefeitura do Rio e as empresas Metrô-Rio, Linha Amarela S.A, Light e Supervia Trens Urbanos. O diferencial trazido pela Redecomep-Rio à Rede-Rio é a possibilidade de interligar, com custo baixo, as instituições acadêmicas em alta velocidade, adequada a usos avançados da rede tais como telemedicina, laboratórios virtuais, ensino a distância, teleconferência, videoconferência de alta definição e ambientes de realidade virtual.

O evento será divido em duas etapas. Pela manhã, o workshop "Projetos e operação da Rede Rio", vai abordar o uso da tecnologia SDN (Software Defined Network ou Redes Definidas por Software) na Rede-Rio, a pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias com aplicações na rede e os projetos de integração internacional da RNP. À tarde, entram em pauta as histórias da fundação da Internet no Rio e as redes de comunicação e sociais.

Os desdobramentos sociais, educacionais e econômicos e a importância de uma rede acadêmica nos dias de hoje serão tema da palestra "Impacto Social das Redes Acadêmicas", que vai reunir, a partir das 16h, representantes do CBPF, da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social e da Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação. Presidente da Faperj, Augusto C. Raupp explica que o apoio à Rede-Rio faz parte das ações da Fundação que visam manter a infraestrutura e dar suporte à comunidade de ciência, tecnologia e inovação do estado.

"Como uma das primeiras redes acadêmicas do país, a Rede-Rio realiza um trabalho de suma importância, que é manter uma internet de alta velocidade nas instituições de ensino e pesquisa, adequada aos projetos desenvolvidos pelas instituições, que requer uma conexão de qualidade", diz Raupp.  

Diretor de Serviços e Soluções da RNP, José Luiz Ribeiro Filho, um dos palestrantes do evento, vai apresentar o programa de expansão de cabos submarinos, que permitirá a conexão direta entre o Brasil e a Europa. "A RNP interage com redes de outros países. O cabo submarino vai ampliar e melhorar a conexão entre a Europa e a América Latina. Atualmente, o Brasil depende muito dos Estados Unidos. A expansão também beneficia a comunidade acadêmica, uma vez que, além de melhorar a qualidade da internet no Brasil, amplia a possibilidade de interligar centros de pesquisa nacionais e internacionais", explica Ribeiro Filho.

Coordenador geral da Rede-Rio/Faperj, Alexandre Grojsgold explica que o evento também será uma excelente oportunidade para discutir os próximos passos para a rede. "Um dos desafios a encarar é a interiorização. De uma maneira geral, a internet disponível no interior do estado é precária e cara, indisponível da forma que se necessita em várias localidades. Petrópolis, Niterói, Campos, Seropédica e Nova Friburgo, são exemplos de localidades onde existem polos de pesquisa e ensino superior, e é importante garantir que as instituições lá localizadas não fiquem privadas dos modernos recursos de colaboração em rede. Por outro lado, mesmo nas cidades onde já contamos com malhas ópticas, o grande desafio é preservar o que já foi conquistado. A capital, em particular, tem vários trechos da rede óptica que sofrem frequentes falhas em função de obras subterrâneas e vandalismo. Várias das instituições usuárias são vizinhas de zonas de baixa segurança urbana, o que só faz encarecer e dificultar a manutenção da rede" conta Grojsgold, tecnologista do LNCC.

Iniciativa colaborativa, a Rede-Rio conta com a cooperação operacional de nove instituições, onde se localizam os pontos de agregação de tráfego ou pontos de presença (PoPs). São eles: a Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio), o CBPF, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet), que formam o anel óptico principal da capital, e o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC- Petrópolis), a Universidade Estadual Norte Fluminense (Uenf-Campos), a Universidade Federal Fluminense (UFF-Niterói).

Confira a programação do evento de comemoração dos 25 anos da Rede-Rio/Faperj:

Dia 25 de maio, quinta-feira, no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), na Rua Dr. Xavier Sigaud, 150, Urca.  

Workshop: Projetos e operação da Rede-Rio

9h30 - Recepção
9h40- Abertura do evento
10h- Palestra 1: Tecnologia SDN na Rede-Rio: CEO/ Rede-Rio; CBPF
10h20 - Palestra 2: Pesquisa e desenvolvimento de tecnologias com aplicações na Rede-Rio; CT-Rede-Rio/Ravel/ Coppe/ UFRJ
10h40 - Palestra 3- Projetos internacionais da RNP; José Luiz Ribeiro Filho
11h - Coffee break

Comemoração dos 25 anos da Rede-Rio

15h - Mesa de abertura: Secti, Faperj, Rede-Rio, RNP
15h30 -Histórias da fundação da internet no Rio de Janeiro / Fernando Peregrino
16h -Redes de comunicação e redes sociais / Luís Bevilácqua
17h - Mesa redonda: Impacto social das redes acadêmicas: Firjan, Finep, Associação Comercial-RJ, Secti-RJ, ABC, Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação/ Mediação: CBPF. 

(Ascom ABC, com informações da Faperj/Lavinia Portella)



Cadastre-se para receber
as Notícias da ABC:



Arquivo de notícias


 

Notícias anteriores TESTE


webTexto é um sistema online da Calepino