27ª Assembleia Geral da TWAS acontece em Ruanda

  • Compartilhe:

Publicado em 17/11/2016

Entre 14 e 17 de novembro, aconteceu a 27ª Assembleia Geral da Academia Mundial de Ciências para o Avanço da Ciência nos países em desenvolvimento (TWAS, na sigla em inglês). O evento acontece em Kigali, capital da Ruanda. A Academia Brasileira de Ciências (ABC) foi representada pelo seu presidente, Luiz Davidovich.

Em seu discurso de abertura da Assembleia, o presidente de Ruanda, Paul Kagame, fez um apelo emocionante para que as pessoas abracem a ciência, citando seu poder de transformar economias e relações humanas. "No mundo em desenvolvimento, em particular, a ciência desempenha um papel crítico em nossa transformação socioeconômica, ajudando a diminuir a distância entre nós e as regiões mais desenvolvidas. O foco sempre foi nos abrir a um mundo mais amplo e encontrar um caminho para entender nossa situação, identificar as melhores ferramentas disponíveis para nós e, em seguida, usar esse conhecimento para atingir todo o nosso potencial." Clique aqui para ler o discurso completo (em inglês).

O presidente da TWAS, Bai Chunli, afirmou que realizar a Assembleia Geral na Ruanda é uma inspiração, pois o pequeno país africano vem enfrentando seus desafios por meio do investimento em ciência e educação. Ele citou o impacto destrutivo do genocídio de 1994 contra o povo tutsi e a longa e difícil recuperação, expressando admiração pela resiliência do povo ruandês.

"Raramente na história a ciência tem sido convocada para enfrentar os desafios como Ruanda enfrentou", disse Chunli. "E, no entanto, aqui vemos uma nação que incorpora o ideal da TWAS: investe na educação científica, está construindo parcerias sul-sul e sul-norte, conhece a importância da ciência básica, mas usa a ciência aplicada para atender necessidades humanas e impulsionar o crescimento econômico." Veja o discurso completo de Bi Chunli.

Durante o encontro, foram divulgados os novos membros eleitos para a TWAS, cuja posse acontecerá na Reunião Geral de 2017. Quatro deles são brasileiros e, portanto, membros da ABC: Vera Lucia Valente Gaiesky (na categoria sistemas e organismos biológicos), Eliete Bouskela (ciências médicas e da saúde), Valderez Ferreira (ciências da terra, do espaço e astronomia) e Enrique Pujals (ciências matemáticas).

Além disso, foram empossados os membros eleitos no ano passado, incluindo três Acadêmicos: Virgínia Ciminelli, Débora Foguel e Jacques Lépine. No entanto, apenas Lepine pôde comparecer ao evento em Kigali.


Membros eleitos em 2015 e empossados esse ano

Foram empossados, ainda, os novos membros afiliados da TWAS, incluindo três da região que engloba a América Latina e Caribe: Patrícia Zancan (Brasil), Christian Andres Wilson Moya (Chile), Franco Martinez Cabrerizo (Argentina), Pablo Alberto Bolaños-Villegas e Ronaldo Eduardo Vargas Balda.


Novos membros afiliados da TWAS

Também foram anunciados os vencedores do prêmio TWAS. Em ciências matemáticas, o Acadêmico Lorenzo Justiniano Diaz Casado foi homenageado por sua contribuição ao estudo dos sistemas dinâmicos. Já em ciências sociais, a também membro da ABC Marilda Sotomayor foi a premiada por sua contribuição e pesquisa inovadora no campo dos mercados de correspondência.

Durante a reunião do Escritório Regional da TWAS para a America Latina e Caribe (TWAS-ROLAC), presidido pelo Acadêmico Vivaldo Moura Neto, Luiz Davidovich apresentou as atividades desenvolvidas pelo escritório e os planos para o próximo ano - entre eles, aumentar a participação dos membros do TWAS-ROLAC em seus projetos e estimular a participação de jovens cientistas em suas atividades.


Participantes da 27ª Assembleia Geral da TWAS. O presidente da ABC, Luiz Davidovich, é o sexto, da esquerda para a direita.

No dia 15 de novembro, o Acadêmico Wanderley de Souza coordenou uma sessão sobre epidemias globais na Reunião Geral da TWAS. A sessão teve o apoio da Elsevier, a maior editora de literatura médica e científica do mundo, e contou com apresentações de pesquisadores de vários países, que falaram sobre temas como leishmaniose, o tratamento da depressão em pacientes com HIV e infecções por arbovírus - este último apresentado pelo brasileiro Rodrigo Brindeiro, referência nas pesquisas sobre zika.


Wanderley de Souza

(Clarice Cudischevitch, com informações de Gabriella Mello e TWAS)



Cadastre-se para receber
as Notícias da ABC:



Arquivo de notícias


 

Notícias anteriores TESTE


webTexto é um sistema online da Calepino