Como funciona a memória

  • Compartilhe:

Publicado em 04/11/2016

A princípio, o desejo de Jociane de Carvalho Myskiw era ser professora como sua mãe. Dedicada, já no ensino médio começou os cursos do magistério e de educação geral. Na faculdade, optou pelo curso de educação física, concluído em 2001 na Universidade Estadual do Oeste do Paraná, localizada a 100 Km de Formosa do Oeste, município onde Jociane nasceu e passou toda a infância.

Mas foi no mestrado que a futura bioquímica desenvolveu o gosto pela pesquisa. Atualmente ela se dedica a desvendar os mecanismos da memória e é um dos novos membros afiliados da Academia Brasileira de Ciências para o período 2016-2020.

Curiosidade que move

No último ano da graduação, Jociane começou a ministrar aulas de ginástica aeróbica, ritmo e exercícios localizados para a comunidade em um projeto idealizado e coordenado pelo professor Gustavo Borges. "Ao final das aulas, os alunos sempre faziam perguntas sobre os benefícios fisiológicos da atividade física e, a partir das dúvidas e dos questionamentos dos alunos, juntamente com a minha curiosidade e vontade de aprofundar meus conhecimentos, comecei a buscar a pesquisa", recorda a cientista. "Ainda, o Prof. Gustavo Borges sempre me incentivou e me motivou a buscar novos conhecimentos; ele foi muito importante para o meu crescimento pessoal e profissional e também na escolha da minha carreira", completa.

Quando terminou a graduação, Jociane se mudou para Santa Maria, a fim de iniciar seu mestrado. Lá, conheceu o professor Carlos Mello, que viria a se tornar seu orientador um ano depois, quando a pesquisadora foi aceita no mestrado de bioquímica toxicológica, na linha de pesquisa sobre os mecanismos de formação da memória.

Passados dois anos, a então mestre foi para Porto Alegre, incentivada pelo professor Carlos Mello, para fazer seu doutorado. Lá, foi orientada pelo Acadêmico Iván Izquierdo. "Trabalhar ao lado de uma pessoa com tanta experiência e conhecimento na área da memória é indescritível, aprendo algo novo todos os dias", diz a pesquisadora.

Como jovem cientista, Jociane considera a indicação a membro afiliada da ABC a maior honraria que poderia receber. "Espero aproveitar ao máximo essa oportunidade de conviver com os melhores cientistas do país; acredito que esta será uma experiência ímpar e contribuirá muito para o meu crescimento pessoal e profissional".


(Samil Chalupe para NABC)



Cadastre-se para receber
as Notícias da ABC:



Arquivo de notícias


 

Notícias anteriores TESTE


webTexto é um sistema online da Calepino