Pioneiro na neurociência, Luiz Carlos Silveira morre em São Paulo

  • Compartilhe:

Publicado em 12/07/2016

A comunidade científica perde um dos pioneiros em pesquisa no campo da Neurociência da Universidade Federal do Pará. O professor Luiz Carlos de Lima Silveira faleceu na manhã deste domingo, dia 10 de julho, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, no qual estava internado há três meses para tratamento de um linfoma. Aos 63 anos de idade, o professor deixa esposa e dois filhos. O sepultamento ocorreu no dia 11 de julho, no Parque Recanto da Saudade, em Belém.

Luiz Carlos Silveira, junto com o professor Cristovam Picanço Diniz, foi um dos responsáveis pela implantação do Grupo de Pesquisa em Neurociências do Instituto de Ciências Biológica (ICB/ UFPA). "Eu tive a oportunidade de conhecê-los logo no início, quando os dois voltaram do mestrado no Rio de Janeiro. Naquela época, nós não tínhamos muitos recursos e foi aí que nos unimos para aprovar um projeto de grande porte, que serviria de base para a construção dos grupos de pesquisa que pretendíamos criar. O projeto foi aprovado pela Finep e contemplado com volume expressivo de recursos. Era um programa que reunia os grupos da Genética, Fisiologia, Biologia da Reprodução e Psicologia Experimental, chamado Programa de Pesquisas Médico-Biológicas em Primatas da Amazônia. Eu era o coordenador; e o Luiz Carlos Silveira, o vice desse projeto que possibilitou a implantação dos Laboratórios de Neurociências e Genética. Foi graças a esse nosso grupo que se consolidou e pôde criar, mais tarde, a Pós-Graduação em Neurociência", relembra o reitor em exercício da UFPA, professor Horácio Schneider. 

Amigo e parceiro no campo da pesquisa científica, o professor Cristovam Picanço Diniz conta que Luiz Carlos Silveira destacava-se pela capacidade que tinha de resistir às adversidades. "Sua história associada à geração de conhecimento novo é igualmente excepcional e a excelência de seus trabalhos é reconhecida por seus pares dentro e fora do País. Veiculados em revistas especializadas de circulação internacional, seus trabalhos científicos demonstram que é possível fazer ciência de alto nível e formar grupos de docentes pesquisadores em áreas em que a comunidade acadêmica é ainda um bebê e tudo conspira contra", relatou.

Para o diretor geral do ICB, Edmar Costa, o trabalho e o empenho do professor Luiz Carlos foram decisivos para transformar o ICB em um instituto de excelência. "Ele foi um dos fundadores do Grupo de pesquisa em Fisiologia da UFPA e deixa à comunidade acadêmica um legado fantástico, tanto em relação às suas obras como em relação à experiência vivida, que fica como inspiração para seus discentes".

A história acadêmica

A trajetória acadêmica do professor Luiz Carlos Silveira iniciou-se na década de 70, quando cursou Medicina pela Universidade Federal do Pará. Em 1980, tornou-se mestre em Ciências Biológicas-Biofísica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e, em 1985, doutor em Ciências-Biofísica também pela UFRJ. Concluiu o Pós-Doutorado em Neurociência na Universidade de Oxford, na Inglaterra, em 1987.

Na UFPA, foi professor associado, lecionando Fisiologia e Neurociência, no período de 1978 a 2010. Atualmente, era professor aposentado, colaborador da UFPA, lecionando Neurociência para Pós-Graduação. Foi diretor geral do Núcleo de Medicina Tropical da UFPA e fundador do Programa de Pós-Graduação em Neurociências e Biologia Celular da UFPA, em 2003. No período de 2007 a 2010, coordenou a Rede Instituto Brasileiro de Neurociência IBN-Net. 

Luiz Carlos Silveira realizou investigação científica e orientação acadêmica em Neurociência, com ênfase em Psicofísica Visual e Eletrofisiologia Visual Humanas, Neurofisiologia e Neuroanatomia do Sistema Visual de Primatas.

Reconhecimento

O professor Luiz Carlos Silveira recebeu várias homenagens pela sua contribuição acadêmico-científica, entre elas, foi agraciado com a Ordem Nacional do Mérito Científico pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), grau Comendador. Também recebeu do Instituto de Ciências Biológicas da UFPA a Medalha de Honra ao Mérito Acadêmico e a Medalha Neurociências Brasil pela SBNeC.

Tornou-se membro titular da Academia Paraense de Ciências (APC) e da Academia Brasileira de Ciências, além de assumir a Direção Científica do Instituto Tecnológico Vale Desenvolvimento Sustentável. Em 23 de junho de 2015, foi aprovado em concurso público para Professor Titular da UFPA.

Confira carta da Acadêmica Dora Fix Ventura em homenagem a Luiz Carlos Silveira.

(Portal UFPA - Foto: Divulgação)



Cadastre-se para receber
as Notícias da ABC:



Arquivo de notícias


 

Notícias anteriores TESTE


webTexto é um sistema online da Calepino