Governador cede imóvel à Academia Brasileira de Ciências

  • Compartilhe:

Publicado em 20/07/2009

"Enfim, o sonho de gerações de Acadêmicos poderá ser realizado", disse o presidente da Academia Brasileira de Ciências, Jacob Palis, no evento realizado no  Palácio Laranjeiras. Dezenas de destacados membros da Academia Brasileira de Ciências prestigiaram o evento (veja o álbum de fotos), assim como diversas autoridades do meio acadêmico, como os reitores da UERJ, Ricardo Vieiralves; Roberto Soares de Moura, da UEZO; Aloisio Teixeira, da UFRJ e o padre Jesus Hortal, da PUC; o diretor da Finep e Acadêmico, Eugenius Kaskurewicz; o diretor do Instituto de Matemática (IMPA), o Acadêmico César Camacho; o diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), o Acadêmico Ricardo Galvão; o diretor do Museu de Astronomia (MAST), Alfredo Tolmasquin; o diretor-científico da Faperj e Acadêmico, Jerson Lima. Estiveram presentes também o secretário especial de Ciência e Tecnologia do Município do Rio de Janeiro, Rubens Andrade, e a vereadora Aspásia Camargo.

O prédio do início do século XX que abriga a Secretaria de Fazenda foi cedido à Academia Brasileira de Ciências (ABC) por trinta anos. O decreto de cessão do histórico imóvel da Rua da Alfândega, no Centro do Rio de Janeiro, foi assinado pelo governador Sérgio Cabral, na manhã de 20 de julho.


Atrás: Rui Marques, diretor presidente da Faperj, e Luís Fernandes,
presidente da Finep. À frente, Sergio Cabral e Jacob Palis

O edifício é tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Inepac) e foi construído nas primeiras décadas do século XX pelo Banco Alemão Transatlântico e tornou-se um dos prédios mais luxuosos e modernos da época. Na década de 40, a construção foi vendida a então Prefeitura do Distrito Federal e, em 1974, passou a pertencer ao governo estadual. A transferência ocorrerá a partir da desocupação do local pela Secretaria, que passará a utilizar o prédio onde funcionou o extinto Instituto de Previdência do Estado do Rio de Janeiro (Iperj), na Avenida Presidente Vargas, 670, também no Centro.
 
O secretário de Ciência e Tecnologia, Alexandre Cardoso; o chefe da Casa Civil, Regis Fichtner; o presidente da Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani; o reitor da UFRJ, Aloísio Teixeira; e o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Luís Manuel Fernandes, participaram da cerimônia de assinatura do decreto de cessão.


Aloisio Teixeira, reitor da UFRJ; Jacob Palis, Sergio Cabral, 
Jorge Picciani e  Alexandre Cardoso

"A marca do nosso governo será a institucionalidade. Eu acho que é isso que estamos recuperando no Rio de Janeiro. Essa ação tem um papel pouco materializado, mas de suma importância para um Estado como o nosso. O que estamos celebrando hoje é  essa recuperação. O Rio é a capital da cultura, da ciência, dos serviços, do porto inteligente, das universidades, da tecnologia e da informação", declarou Sérgio Cabral, que recebeu do presidente da ABC um diploma de Governador da Ciência.

O secretário Alexandre Cardoso destacou algumas qualidades do governo de Sérgio Cabral: o objetivo precípuo de cumprir o que está estabelecido pela lei, como garantir os 2% do orçamento para a Faperj, prevista na lei, mas nunca cumprida por gestões anteriores. O outro aspecto citado por Cardoso é a autonomia dada aos secretários para montar sua equipe e fazer seu trabalho. " É um governador que faz hoje mas pensa no amanhã". Cardoso apresentou um cronograma referente ao prédio cedido a ABC: o memorial deve ser definido até o início de setembro; escolha do arquiteto, de padrão internacional, até final de outubro; licitar o projeto até fevereiro e levantar recursos para que a obra comece em julho de 2010.

"Temos a grande satisfação de passar o prédio à Academia. O Rio de Janeiro é a capital da Ciência e o edifício da Rua da Alfândega é um patrimônio. Nós o recebemos em péssimo estado, mas o recuperamos. Nas últimas décadas, o imóvel recebeu melhorias, como pinturas, substituição de fiação, troca de carpetes e modernização de elevadores, sempre com atenção para o valor histórico do prédio, cujas características arquitetônicas devem ser preservadas", afirmou o secretário de Fazenda, Joaquim Levy. "A cessão desse prédio representa uma nova linha de parceria com a sociedade."

Para o presidente da Alerj, Jorge Picciani, a equipe do governo está realmente empenhada em fazer o melhor pelo Rio de Janeiro. " É fundamental a preservação e revalorização das instituições. Temos o exemplo do que está acontecendo no Senado: mantê-lo é básico para a democracia, mas é necessário expurgar aqueles que não estão conduzindo adequadamente sua missão pública". O parlamento, quando Cabral entrou, gastava 3,47% da receita do Estado. Em 2008, foi gasto 1,16%, o que mostra o enxugamento da máquina pública, de acordo com Picciani.

Representando o Governo Federal, o presidente da Finep, Luís Manuel Fernandes, comemorou o fato do Rio de Janeiro estar fortalecendo sua posição como sede da Ciência nacional. "Outras unidades da federação cobiçaram hospedar a sede da ABC, mas com a colaboração do governo do estado o Rio de Janeiro manteve sua prerrogativa de capital da Ciência."

Hoje, 20 de julho de 2009, no dia em que o antigo membro da ABC Alberto Santos Dumont completaria 136 anos, a Academia ampliou seu espaço, assim como Santos Dumont ampliou o horizonte da humanidade.


Maquete do Demoiselle, 19º protótipo criado por Santos Dumont,
gentilmente cedida para o evento pelo Instituto Nacional de Tecnologia
(INT/MCT)

Segundo o presidente da ABC, inicia-se agora uma nova fase. "Já estamos preparando as etapas para a recuperação do edifício. Haverá um memorial, um projeto e a realização de obras para adaptar o belíssimo prédio à Academia Brasileira de Ciências". A restauração e manutenção da nova casa da ciência contarão com parcerias públicas, além das leis de incentivo. "A construção é de 1926. É um prédio histórico que precisará de uma restauração. O Governo do Estado, o ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende, e a Fundação Getúlio Vargas já manifestaram apoio e vão nos ajudar no projeto. Vamos  também fazer um estudo sobre as leis de incentivo para que esse projeto seja concretizado", afirmou Palis, que confirmou já ter o apoio expresso dos Membros Institucionais associados à ABC, como o BNDES, a Fundação Conrado Wessel, a Faperj, a Fapemig, a Petrobras, o Inmetro, a Coppetec.

Palis lembrou que a luta por uma sede adequada já tem mais de 80 anos e que agora, enfim, a ABC terá um lugar do tamanho de sua importância. "O governador sempre mostrou interesse em ajudar na questão da nova sede. Essa é uma reivindicação dos anos 20. Sempre lembrei que países como Argentina, México, China, Índia e África do Sul têm sedes modernas para seus centros científicos. Enquanto isso, nós trabalhamos no terceiro andar de um prédio comercial. Sempre foi um sonho para nós esse desfecho. Até porque, em matéria de ciência, o Brasil é disparado o país mais desenvolvido dentro da América Latina e com forte representação em todo o mundo", disse o presidente da instituição, que reúne 620 cientistas e é a mais antiga do país na sua área de atuação.


O Acadêmico César Camacho, diretor do IMPA; Jacob Palis;
o Acadêmico Aloísio Pessoa; Joaquim Levy

O presidente da Academia agradeceu efusivamente o apoio do Acadêmico Aloísio Pessoa de Araújo, aos secretários Joaquim Levy e Alexandre Cardoso, ao governador Sergio Cabral e ao apoio dado em todo o processo pelo ministro Sergio Rezende, que não pôde comparecer, mas enviou uma carta. Nesta, Sergio Rezende agradeceu "como ministro da Ciência e Tecnologia e como membro da ABC há 33 anos" a todos que contribuíram para tomar possível a antiga aspiração da Academia, especialmente ao governador Sérgio Cabral, "que apóia com firmeza as ações de ciência, tecnologia e inovação empreendidas pela Secretaria de Ciência e Tecnologia, conduzida com competência por Alexandre Cardoso."


Jacob Palis, Sergio Cabral e Alexandre Cardoso

Rezende destacou em sua carta que "como carioca e como ministro, muito me orgulho que o Estado ocupe uma posição privilegiada no cenário de ciência e tecnologia do país. Estão sediadas no Rio várias instituições de pesquisa científica e tecnológica vinculadas ao MCT, assim como a Finep, a principal agência de fomento à inovação brasileira". Agradeceu também à Assembléia Legislativa, que autorizou os termos da negociação, bem como ao Secretário Joaquim Levy que concordou em ceder o prédio ocupado pela Secretaria da Fazenda. O ministro felicitou Palis pela conquista, "resultado do seu incansável trabalho à frente de nossa querida ABC".

(com dados do Governo do Estado, da Alerj, do Jornal da Ciência e da Redação SRZD)



Cadastre-se para receber
as Notícias da ABC:



Arquivo de notícias


 

Notícias anteriores TESTE


webTexto é um sistema online da Calepino