Pensando a universidade do amanhã

  • Compartilhe:

Publicado em 24/05/2013

Leia abaixo o artigo de Isaac Roiman, Membro Titular da ABC, sobre a Comissão UnB.Futuro. Publicado no dia 24 de maio de 2013, no portal da Secretaria Regional da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) de Pernambuco, o texto explica os principais objetivos da comissão:

"A Universidade de Brasília comemorou no ano de 2012 o seu jubileu. Para coordenar as celebrações foi instituída a Comissão UnB 50 anos que procurou revisitar a história da UnB identificando iniciativas virtuosas, experiências negativas e omissões. Nas reflexões nas 39 reuniões da Comissão as análises do passado serviram como inspirações de ações para o futuro. Nesse contexto ao se encerrar a atividades da Comissão UnB 50 anos foi criada a Comissão UnB.Futuro, que tem o nome fantasia: Pensódromo, inspirado no Beijódromo, nome fantasia dado ao Memorial Darcy Ribeiro construído na UnB. Essa nova comissão tem como principal objetivo criar um novo espaço para reflexões com a finalidade de funcionar como uma usina de idéias, para transformar a universidade em uma instituição compatível com a realidade e as demandas do século XXI.

A Comissão UnB.Futuro pretende durante 2013 realizar sessões públicas mensais para discutir temas pré-selecionados. Para cada tema será convidado um orador especialista no tema seguido de um amplo debate. As reuniões terão registro de imagem e som e para cada uma delas haverá a elaboração de um documento-síntese e registros para a elaboração de livros e outros instrumentos de divulgação. A coordenação dos trabalhos será feita pelo Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação (DPP/UnB) em parceria com o Núcleo do Futuro (n-Futuros/CEAM/UnB).

Certamente os assuntos debatidos serão importantes para traçar os rumos da UnB, assim como do sistema universitário brasileiro e a educação como um todo. Uma pauta preliminar foi construída: a) o atendimento da demanda para o acesso à educação superior e a necessidade de mais inclusão social; b) o desafio de admitir os melhores talentos entre os estudantes e romper barreiras socioeconômicas, étnicas ou de gênero; c) o aprimoramento dos mecanismos de apoio à permanência estudantil; d) a formação de recursos humanos que possam ter uma atuação profissional flexível e interdisciplinar; e) a realização de modelos inovadores de ensino superior que permitam explorar o potencial das novas tecnologias de informação e de comunicação; f) o papel da universidade na melhoria da qualidade do ensino básico; g) a consolidação do papel da universidade no projeto de desenvolvimento social e econômico do Distrito Federal e do país; h) a produção de saber de qualidade e de impacto para o aperfeiçoamento da ciência e para o desenvolvimento tecnológico, com foco na melhoria da qualidade de vida da sociedade; i) a internacionalização das atividades acadêmico-científicas.

Ao refletir sobre o horizonte das próximas décadas, várias questões emergem: a) o papel do ensino superior na conquista da qualidade do ensino básico; b) o papel da modalidade do ensino presencial versus ensino a distância; c) o atual padrão de carreira universitária será mantido? ; d) como a universidade do futuro se relacionará com outras instituições de pesquisas, locais, nacionais e estrangeiras?; e) A universidade do futuro será um lugar ou um conceito, em rede, de tudo que une a busca de um saber, não só ensino superior?; f) Como a universidade deverá se relacionar com o setor produtivo e com o Estado?; f) A universidade de excelência requer autonomia?

A primeira sessão pública foi realizada no auditório da Reitoria da UnB no dia 06 de maio de 2013 com a presença de mais de 100 pessoas da comunidade universitária e da sociedade. O tema discutido foi: "O que é necessário para que a Universidade seja a vanguarda do pensamento contemporâneo". O orador foi o Professor e Senador Cristovam Buarque que abordou entre outros assuntos: a) a velocidade dos avanços do conhecimento e a difusão dos mesmos; b) a crise ética nos produtos tecnológicos da universidade, que exigem debates éticos em todas as áreas de conhecimento; c) o ensino em rede: da universidade com seus estudantes e as universidades entre si, dando qualidade ao ensino não presencial; d) o papel fundamental da universidade na melhoria do ensino básico; e) a natureza tridimensional da universidade: departamentos, núcleos temáticos e núcleos culturais; f) redefinição dos indicadores de qualidade; g) autonomia comprometida com o fazer e para onde ir; h) estabilidade responsável; i) universidade como usina de novos saberes e não simples depositária de velhos saberes e j) a federalização do ensino básico. Para conferir a palestra e o debate na íntegra, clique aqui.

A segunda sessão pública da Comissão UnB.Futuro será realizada no dia 03 de junho de 2013, às 15 hs no auditório da Reitoria da UnB com o mesmo tema da primeira sessão. O orador será o Professor Mozart Neves Ramos, Professor da UFPE, ex-Reitor dessa Universidade, ex-Secretário de Educação de Pernambuco, ex-Presidente da ANDIFES, Conselheiro do Movimento Todos pela Educação e Membro do Conselho Nacional de Educação."


(Isaac Roitman)



Cadastre-se para receber
as Notícias da ABC:



Arquivo de notícias


 

Notícias anteriores TESTE


webTexto é um sistema online da Calepino