Ciência Gera Conhecimento - [ Conheça ]

Português > Notícias > Simpósio e Diplomação dos Membros Afiliados da ABC Regional Norte • (...)


Simpósio e Diplomação dos Membros Afiliados da ABC Regional Norte • 2013-2017

  • Compartilhe:

Publicado em 4/11/2013

A reunião científica e a cerimônia de diplomação dos novos membros afiliados da ABC da Região Norte, eleitos para o período 2013-2017, foi realizada no Instituto Tecnológico Vale Desenvolvimento Sustentável, em Belém, na tarde de 17 de outubro de 2013.


Roberto Dall’Agnol , Jacob Palis  e Alex Fiuza

A mesa foi composta pelo presidente da ABC Jacob Palis, o vice-presidente regional da ABC Norte Roberto Dall’Agnol e o secretário especial de Estado de Promoção Social do Pará, Alex Bolonha Fiúza de Mello. Dall’Agnol abriu a cerimônia agradecendo a presença de Palis, que manifestou sua alegria e orgulho em estar diplomando mais três novos membros afiliados na Região Norte. Ele explicou que a categoria foi criada em 2007 com o objetivo de identificar e estimular jovens cientistas de excelência em todos os recantos do país, elegendo-os para Membros Afiliados da ABC por cinco anos não renováveis, a partir do ano seguinte à eleição.

CT&I na Amazônia

O vice-presidente Dall’Agnol relatou os resultados da reunião realizada pela manhã, que tratou de propostas que alavanquem o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação (CT&I) na região Norte. Sobre o documento da ABC sobre a Amazônia, publicado em 2008, ele foi avaliado como muito completo e ainda atual, tendo servido de base, inclusive, para o documento elaborado pelo Foprop-Norte (Fórum de Pró-Reitores de Pós-Graduação e Pesquisa), relativo ao Programa de Atração e Fixação de Doutores na Amazônia. Segundo Dall’Agnol, foi discutida a importância de serem destacadas áreas prioritárias para concentrar uma especialização mais forte na Amazônia, embora se deva continuar valorizando todas as áreas do conhecimento. As áreas sugeridas, pela vocação da região, seriam os recursos naturais e a biodiversidade.

O vice-presidente regional da ABC destacou ainda a importância da criação de novas universidades. "Em 2009 foi criada a Ufopa [Universidade Federal do Oeste do Pará], em Santarém, e em junho de 2013, na cidade de Marabá, a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Agora estamos lutando por outra no nordeste do Estado e, para tanto, precisamos do apoio da ABC. Essas universidades serão a base dessas transformações discutidas, tão necessárias."Além das universidades, Dall’ Agnol observou que a criação e o fortalecimento de institutos de pesquisa como o da Vale, onde estava sendo realizada o encontro, eram ações também de primeira importância para a Amazônia.

Prioridades para o desenvolvimento

Dos cinco pontos destacados como principais para o desenvolvimento de CT&I na Amazônia no 2º Encontro Nacional de Membros Afiliados da ABC - realizado em Petrópolis, no Rio de Janeiro, no mês de agosto - dois foram escolhidos como prioridades absolutas: o apoio ao documento do Foprop, buscando transformar as propostas em fatos, e ações relativas à tecnologia da informação (TI), como acesso à banda larga e informática de forma geral. Dall’Agnol explicou que embora já exista a iniciativa da RNP [Rede Nacional de Ensino e Pesquisa], sua capacidade é limitada e não está capilarizada o suficiente para alcançar o interior de modo a corresponder à demanda. "Já existem backbones de empresas, que precisam de articulação com o governo para ter seus cabos ramificados para cidades importantes. Essa engenharia não requer tantos recursos, mas sim entendimentos para acertos contratuais", relatou.

O grupo presente à reunião da manhã pediu, explicitamente, o apoio da ABC para levar essas propostas a instâncias superiores - até a presidente Dilma - para que isso aconteça de forma definitiva.

Com relação a TI, Palis destacou que o ministro Raupp confirmou a instalação de um satélite para a região amazônica e afirmou que pretende implementar um plano de investimentos em CT&I para a Amazônia. "A Amazônia contribui mais para o PIB brasileiro do que recebe em retorno, em termos de investimentos federais em CT&I. Precisamos ter esses números precisos, ter esses dados renovados, porque são dados contundentes. A Amazônia, em função de seu potencial econômico, certamente merece receber mais do que dá e não o inverso", reforçou Palis.

Parcerias internacionais

O assessor técnico da ABC Marcos Cortesão, responsável pela articulação de ações com a ABC-Norte, falou da possibilidade de articular parcerias em prol do desenvolvimento de CT&I na Amazônia com a Rede Global de Academias de Ciências (IAP) e com a Rede Interamericana de Academias de Ciências (IANAS). Ele esclareceu que essas organizações tem como meta mobilizar as Academias de Ciências do mundo no sentido da sustentabilidade e da erradicação da pobreza. "A ideia é levar ciência para a sociedade, de modo que essas academias não sejam entidades apenas honoríficas, mas que possam efetivamente contribuir para um mundo melhor".

Para Cortesão, a ABC tem o papel de mobilizar a inteligência regional em torno dessa e de outras iniciativas e a participação dos membros afiliados é fundamental. Ele apresentou uma proposta de parceria, feita em vídeo, pelo ganhador do Prêmio Nobel de Economia Jeffrey Sachs, que vem liderando o movimento pela sustentabilidade em nível mundial. O norte-americano é conhecido pelo seu trabalho como conselheiro econômico de diversos governos da América Latina, do Leste Europeu, da extinta União Soviética, da Ásia e de África e pelo seu livro "O fim da pobreza: como acabar com a miséria mundial nos próximos vinte anos". No vídeo, Sachs explicita sua disponibilidade de trabalhar junto com a Academia Brasileira de Ciências nessa direção. Veja o vídeo na íntegra.

Feliz com a deferência de Sachs à ABC, Palis acrescentou que essa iniciativa é um desdobramento da Rio+20, que trata de sustentabilidade. "Mas a erradicação da pobreza precede qualquer questão de sustentabilidade, como visto na 7ª Conferência Anual da Rede Global de Academias de Ciências, evento promovido em parceria com a ABC, em fevereiro desse ano. Vamos estar juntos e na linha de frente com essa iniciativa da ONU." O presidente da ABC acrescentou que é importante atrairmos as empresas da região para essas parcerias.

Os novos membros afiliados

Após a discussão sobre o encaminhamento das ações em defesa do desenvolvimento de CT&I na Amazônia, seguiu-se a reunião científica, na qual os novos membros afiliados apresentaram suas linhas de pesquisa. O físico da Universidade Federal do Pará, Jordan Del Nero, tratou da eletrônica através de moléculas. A geneticista Raquel Carvalho Montenegro, da mesma instituição, apresentou sua abordagem do câncer. Finalmente, o físico Waldeci Paraguassu Feio, também da UFPA, proferiu sua palestra intitulada "Amorfização induzida por pressão hidrostática em materiais com expansão térmica negativa". Foi realizada então a cerimônia de diplomação, tendo os dois pesquisadores o professor Dall’ Agnol como padrinho, com apresentação feita pelo membro afiliado Luiz Carlos Bassalo Crispino, e Raquel Montenegro sendo apresentada pelo seu padrinho Rommel Rodriguez Burbano, biomédico geneticista e professor da UFPA.


Jordan del Nero, Waldeci Paraguassu, Roberto Dall’Agnol,
Raquel Montenegro e Jacob Palis

Saiba mais sobre os novos membros afiliados da ABC/Região Norte nas matérias a seguir.

O encanto pela nanociência
Possibilidade de dar um alívio a pessoas com câncer
Paixão à primeira vista


(Elisa Oswaldo-Cruz para Notícias da ABC)



webTexto é um sistema online da Calepino