Português > Notícias > Reunião de cientistas no Vaticano gerou forte alerta


POLÍTICA DE C&T

Reunião de cientistas no Vaticano gerou forte alerta

  • Compartilhe:

Publicado em 24/11/2017

A Pontifícia Academia de Ciências (PAS, na sigla em inglês) promoveu um workshop nos dias 23 e 24 de outubro último, como publicado em “Cientistas se manifestam em prol da ciência brasileira no Vaticano”.

O encontro reuniu cientistas da PAS e da Academia de Ciências de América Latina (ACAL). O Brasil foi representado no evento pelo presidente da ABC, Luiz Davidovich , o membro da ABC e da PAS Vanderlei Bagnato, o Acadêmico Elíbio Rech e o membro da ACAL e ex-membro afiliado da ABC, Stevens Rehen .

O documento originado ao fim do evento no Vaticano relatou os novos avanços científicos na área de biologia celular e genética revelados durante o workshop. Apresentou também recomendações para formuladores de políticas públicas de todo o mundo, destacando a diáspora científica consequente do não reconhecimento do valor da ciência enquanto motor do desenvolvimento nos países da América Latina, a vocação da ACAL para interagir com os organismos internacionais neste sentido e a importância de que os cientistas envidem um esforço especial na interação com a mídia, para contribuir com a educação do público em geral, e com o setor privado, para explorar perspectivas de inovação nos processos produtivos.

Os participantes ficaram muito gratos à Pontifícia Academia de Ciências e ao Papa Francisco por esta experiência única.

Leia o documento originado no evento no Vaticano na íntegra aqui .

A ACAL

A Academia de Ciências da América Latina (ACAL) trabalha no sentido de valorizar a ciência e tecnologia para o desenvolvimento e a integração humana, cultural e social da América Latina e Caribe. Desenvolve programas de cooperação científica, intercâmbio de pesquisadores, transferência de conhecimento e investe na formação de redes de regionais de pesquisa. A ACAL também fomenta e realiza estudos de política científica e promove o interesse por ciência em todos os níveis educacionais.

Ela foi criada para honrar a memória de Simon Bolívar, em 1982, por um grupo de pesquisadores reunidos na Pontifícia Academia de Ciências com este objetivo. Dentre o grupo de fundadores estavam os brasileiros Antonio Paes de Carvalho , Carlos Chagas, Leopoldo de Meis , Maurício Matos Peixoto , Sérgio Mascarenhas de Oliveira  e Sonia Dietrich. Conforme acordado na reunião, a sede da ACAL foi estabelecida permanentemente em Caracas, na Venezuela, a partir de 1983.

Atualmente, a Academia tem 222 membros da Argentina, Brasil, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Chile, Equador, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Peru, Uruguai e Venezuela. Conta ainda com membros correspondentes da Alemanha, Estados Unidos e França.


(Elisa Oswaldo-Cruz para NABC)



webTexto é um sistema online da Calepino