Português > Notícias > Estudando a esquizofrenia


PRÊMIO L’ORÉAL-UNESCO-ABC 2009

Estudando a esquizofrenia

  • Compartilhe:

Publicado em 25/09/2009

Bacharel em Farmácia, com habilitação em Análises Clínicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mestre e doutora em Bioquímica pela mesma instituição, a cientista Alexandra Ioppi Zugno foi uma das três ganhadoras do Prêmio L’Oréal para Mulheres na Ciência 2009 na área de Ciências da Saúde.

Alexandra foi escolhida por seu trabalho de avaliação da atividade de acetilcolinesterase e alterações comportamentais induzidas por ketamina em um modelo animal de esquizofrenia em ratos, desenvolvido na Universidade Estadual de Santa Catarina (UNESC).

A pesquisadora e orientadora permanente do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade do Extremo Sul Catarinense busca entender melhor como funciona a doença da esquizofrenia. Através da padronização em laboratório de um modelo animal da doença, Alexandra desenvolve estudos comportamentais e bioquímicos na tentativa de compreender mais a fundo os transtornos psiquiátricos.

A certeza de estar no caminho certo na pesquisa que realiza, como diz, vem, justamente, da conquista desse prêmio que, para a cientista, representa um incentivo à sua carreira e à pesquisa brasileira. "As mulheres vêm demonstrando, cada vez mais, competência em tudo de que participam e não tem sido diferente na ciência. Hoje, várias cientistas tem seu nome em destaque nas pesquisas. Conseguir financiamento do governo e de empresas privadas, como é o caso desse prêmio, mostra que nosso país vem investindo na pesquisa, e sabemos que para o desenvolvimento de um país, a pesquisa é fundamental", avalia.

Alexandra garante que o prêmio é também importante pela visibilidade que dá ao projeto. Segundo a bioquímica, ter o nome e a pesquisa postos em evidência chama a atenção das pessoas para o estudo que realiza. "Recebi vários e-mails e telefonemas de pessoas influentes e de outras que nem são do meio científico. Isso mostra como estão atentas e se interessam pelo nosso trabalho", comemora a ganhadora, que pretende utilizar o valor do prêmio para financiar o projeto, através da compra de equipamentos e reagentes necessários e também para atualizar conhecimentos, participando de congressos e encontros específicos da área.




webTexto é um sistema online da Calepino