Ciência Gera Conhecimento - [ Conheça ]

Português > Notícias > Encontros Regionais de Membros Afiliados 2012: as sessões de (...)


Encontros Regionais de Membros Afiliados 2012: as sessões de abertura

  • Compartilhe:

Publicado em 5/07/2013

Os Encontros Regionais de Membros Afiliados ocorreram em 2012 com o objetivo de integrar os jovens pesquisadores de cada região entre si, com os membros titulares da região e às atividades da ABC. Estes eventos proporcionaram, no entanto, muito mais. Eles se tornaram um espaço para trocas de experiências, formação de parcerias e de planos para o futuro, além de um precioso fórum de debate sobre as principais questões que vêm limitando o desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil, cujos efeitos se refletem na sociedade.

As reuniões realizadas nas regiões das vice-presidências da ABC foram inteiramente organizadas pelos próprios membros afiliados, com o apoio da ABC. A assessoria de comunicação da ABC procurou reunir as discussões por áreas temáticas principais e mostrar, em duas edições subsequentes das Notícias da ABC, a riqueza da contribuição desses eventos para os participantes, para a Academia, para os formuladores de políticas públicas nas áreas de ciência, tecnologia, inovação e educação e, consequentemente, para o Brasil.

Regional ABC/Norte

O I Encontro da Regional Norte não ocorreu no ano de 2012, como os outros: avançou um pouquinho no tempo e foi realizado nos dias 21 e 22 de fevereiro de 2013, na Universidade Federal do Pará (UFPA). O vice-presidente da ABC para a região Norte, Roberto Dall’Agnol , explicou que aceitou o cargo no decorrer de 2012, o que causou o atraso na realização do evento regional. Destacou a importância da criação, na gestão do presidente Jacob Palis , da categoria de membros afiliados, "que é temporária, mas gera potenciais candidatos a membros titulares mais à frente."

Em sua visão, esses jovens destacados pesquisadores, distribuídos em mesmo número nas seis regiões de atuação da ABC, "dinamizam a Academia, trazem novas ideias e grandes contribuições", observou Dall’Agnol, agradecendo a presença dos novos Afiliados daquela região - Jordan Del Nero, Raquel Carvalho Montenegro e Waldeci Paraguassu Feio - e do novo membro titular Marcondes Lima da Costa , todos presentes ao Encontro. "Sabemos que todos nós somos muito ocupados e comprometidos, mas conto com a colaboração de vocês para promover o crescimento das ações da ABC na região Norte."

O vice-presidente convidou para a mesa de abertura do evento o vice-reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA) e Acadêmico Horacio Schneider ; o reitor da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) José Seixas Lourenço; o diretor do Instituto de Ciências Biológicas da UFPA, Julio Pieczarka; e o representante dos membros ailiados da região Norte, Luís Carlos Bassalo Crispino.


Julio Pieczarka, Horacio Schneider, Roberto Dall’Agnol,
José Seixas Lourenço e Luís Carlos Bassalo Crispino

Crispino apresentou o planejamento de atividades da ABC referentes aos membros afiliados: grandes encontros nacionais a cada dois anos, alternados com eventos regionais que promovam discussões mais específicas de cada região do Brasil, no que diz respeito ao desenvolvimento de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) e de políticas públicas adequadas para atingir as questões locais. Aproveitando a ocasião, mostrou o relatório esultante do I Encontro Nacional de Membros Afiliados da ABC, realizado em 2011, intitulado "C,T&I: Visões da Jovem Academia", disponível para download gratuito no site da ABC. O livreto impresso foi distribuído no Encontro.

Julio Pieczarka concordou ser uma honra receber o evento regional da ABC e elogiou a qualidade da programação. Horacio Schneider representou o reitor, que estava em Brasília, agradeceu ao Comitê Organizador e declarou ser um grande prazer, para ele e para a UFPA, hospedar aquela reunião.

Seixas Lourenço parabenizou a ABC por seu envolvimento e compromisso com a causa do desenvolvimento científico-tecnológico da Amazônia. Referiu-se a um encontro anterior sobre recursos humanos na Amazônia, realizado pela ABC em junho de 2010 na UFPA e citou o documento da ABC - "Amazônia: Desafio brasileiro do Séc. XXI" - que, segundo o reitor, é utilizado por todos os especialistas da região ao desenvolver propostas e na busca de apoio político para torná-las realidade. Ele destacou a importância da sensibilização da comunidade acadêmica brasileira com relação às regiões socioeconomicamente menos desenvolvidas do país, especialmente no aspecto cientifico. Por isso, elogiou a iniciativa da ABC e baseou sua apresentação no documento da ABC. Segundo Seixas, a questão fundamental da região ainda é a atração e fixação de doutores na Amazônia, aspecto também abordado no evento anterior citado por ele e organizado pela ABC.

Regional ABC/Nordeste & Espírito Santo

O 1º Encontro de Afiliados da Regional Nordeste & Espírito Santo ocorreu nos dias 22 e 23 de novembro, no Auditório do Centro de Pesquisas Gonçalo Muniz  - CPqGM da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Salvador, na Bahia, reunindo membros afiliados, titulares, acadêmicos em geral e estudantes interessados em conhecer melhor a ciência brasileira. "A escolha dos temas surgiu das demandas, anseios e preocupações dos membros afiliados. Cremos que o formato adotado favorece a integração entre todas as áreas do conhecimento e entre as gerações de cientistas que participam do Encontro", explicaram Leonardo Teixeira (UFBA), Camila Indiani (Fiocruz-BA) e Roberto Rivelino (UFBA), membros afiliados e integrantes do Comitê Organizador do evento. Outros acadêmicos ficaram responsáveis por coordenar as mesas-redondas.


Roberto Rivelino, Jailson Bittencourt, Mitermayer Galvão e Roberto Santos

Participaram da cerimônia de abertura o Acadêmico Jailson Bittencourt de Andrade , representante da ABC; o presidente da Academia de Ciências da Bahia, Roberto Santos; o diretor da Fiocruz-BA, Mitermayer Galvão dos Reis; e Roberto Rivelino de Melo Moreno, representando os membros afiliados.

Em suas falas de abertura, todos destacaram a importância do encontro para agregar as diversas gerações da comunidade científica da região, para destacar os avanços da produção ocorridos nos últimos anos, assim como para identificar os aspectos deficitários que ainda persistem. E concordaram que as assimetrias entre as diversas regiões do país só serão combatidas por meio de uma ação cooperativa entre os órgãos federais e estaduais, que mantenha o desenvolvimento atual do país, mas o torne mais igualitário.

Regional ABC/Minas Gerais & Centro-Oeste

A cerimônia de abertura do I Encontro Regional de Membros Afiliados da ABC / MG&CO, realizado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) no dia 31 de outubro de 2012, contou com a presença da vice-presidente regional para Minas Gerais e Centro-Oeste (MG&CO) da ABC, Maria Carolina Nemes ; Jussara Almeida, representando os membros afiliados; e o pró-reitor de Pesquisa da UFMG Renato de Lima Santos, representando o reitor Clélio Campolina.


Ado Jório, Renato de Lima Santos, Nívio Ziviani, Mario Neto Borges (Fapemig),
Maria Carolina Nemes, Marcelo Terra Cunha, Jussara Almeida, Marcos André Gonçalves,
Adriano Alonso, Antonio Lúcio, João Trindade, Ricardo Fujiwara,
Bernardo Nunes; na frente, Fabiana Machado e Daniella Bartholomeu

Em nome da ABC, Maria Carolina parabenizou os membros afiliados que compuseram, voluntariamente, o Comitê Organizador - Jussara Almeida (Departamento de Ciência da Computação, UFMG), Fabiana Machado (Instituto de Ciências Biológicas, UFMG), Antônio Lúcio Teixeira (Faculdade de Medicina, UFMG) e Ricardo Fujiwara (Instituto de Ciências Biológicas /diretor de Fomento à Pesquisa da UFMG) - pela qualidade e profundidade da programação estruturada. "É um prazer para mim, tanto intelectual como emocional, estar compartilhando o dia de hoje com esses jovens brilhantes cientistas, que são o futuro da Nação", disse a vice-presidente regional.

O pró-reitor Renato Santos afirmou a relevância da parceria com a Academia Brasileira de Ciências para a UFMG e destacou que, dos membros afiliados da ABC, dois já estão na Pró-Reitoria, o que indica escolhas acertadas de ambas as partes.

A afiliada Jussara Almeida contextualizou o evento. Ela relatou aos presentes que o primeiro encontro de membros afiliados da ABC foi nacional, realizado em 2011 na sede da ABC, e a Regional MG&CO foi representada pelo professor Marcos André Gonçalves no comitê Organizador, que contou com um membro afiliado de cada região. "Em 2012, a opção foi por encontros regionais, procurando fomentar um maior envolvimento dos membros afiliados entre si e com a ABC", destacou Jussara. Além disso, a reunião cria uma oportunidade e um fórum para discussão de vários temas relacionados à ciência brasileira, do ponto de vista desses jovens cientistas que, segundo Jussara, muito provavelmente serão pesquisadores líderes no país nos próximos dez a vinte anos. "Especificamente no evento de hoje, nossa intenção é discutir questões, desafios, oportunidades e necessidades relacionadas à ciência no contexto de Minas Gerais e do Centro Oeste."

Jussara ressaltou ainda que o grupo dos Membros Afiliados da ABC/MG&CO está elaborando um documento abordando os riscos e oportunidades da ciência brasileira, a ser encaminhado para instituições do governo, agências de fomento e universidades, esforço este liderado pelo afiliado Marcelo Terra Cunha, do Departamento de Matemática da UFMG. Nos agradecimentos, Jussara mencionou o apoio da vice-presidente regional Maria Carolina Nemes, da equipe da ABC e do seu presidente, e destacou em especial o apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa da UFMG.

Regional ABC/ Rio de Janeiro

O I Encontro Regional de Membros Afiliados da ABC/ Rio de Janeiro foi realizado no Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CCS/UFRJ) nos dias 15 e 16 de outubro de 2012.


Emiliano Medei, Eliete Bouskela , Debora Foguel, Carlos Levi,
Denise Pires e Antonio Carlos Carvalho

A mesa de abertura foi composta pelo membro afiliado da ABC e representante do Comitê Organizador do evento, Emiliano Medei; a secretária-geral da Academia Nacional de Medicina (ANM) e novo membro titular da ABC Eliete Bouskela; a pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da UFRJ e membro titular da ABC, Débora Foguel ; o reitor da UFRJ Carlos Levi da Conceição; a diretora do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, hostess do evento, Denise Pires de Carvalho; e o diretor da ABC e professor titular da UFRJ Antônio Carlos Campos de Carvalho.

O reitor Carlos Levi acolheu o evento com muita satisfação, declarando ser de grande interesse da UFRJ apoiar essa iniciativa dos membros afiliados da ABC do Rio de Janeiro de promover uma reunião com foco em pesquisas de ponta, no debate sobre a internacionalização da ciência brasileira e na discussão sobre os recursos para ensino e pesquisa no estado. "Tenho a expectativa de que as discussões, as interações e as reflexões que vão se desenvolver aqui a partir desse primeiro encontro venham a ter desdobramentos, gerar resultados, estimular outras iniciativas que visem produzir os efeitos que a nossa sociedade e o nosso país necessitam", concluiu Levi.

Débora Foguel cumprimentou a todos e parabenizou o Comitê Organizador, chamando atenção para a feliz escolha dos temas das palestras científicas - que foram dez -, completamente alinhadas com a premiação do Nobel, recém ocorrida, nos temas de computação quântica e terapias celulares. "Esse programa que vocês construíram é altamente relevante e atual e mostra como a UFRJ e o Brasil estão trabalhando realmente no estado da arte em diversas áreas da ciência."

Campos de Carvalho saudou a todos e destacou a contribuição dos membros afiliados. "A ABC e a ciência brasileira precisam de sangue novo, do ímpeto e vontade de fazer e de mudar a situação da ciência no país", declarou. Carvalho relatou que foi criada recentemente uma comissão na Academia para fazer um estudo sobre o financiamento de ciência, por avaliarem a necessidade urgente de uma política de mais longo prazo que permita maior ousadia nos projetos científicos e possibilite a tão discutida internacionalização da ciência brasileira. Ele ressaltou que para colocar a universidade brasileira no nível das melhores do mundo, o Brasil deve seguir o exemplo da China, onde algumas universidades foram selecionadas para ter um nível diferenciado de financiamento, de acordo com a sua capacidade de gerar conhecimento, para que possam alcançar esse patamar internacional. Concluiu dizendo da enorme satisfação da ABC em ver a qualidade do evento organizado pelos jovens afiliados.

Regional ABC/São Paulo

O I Encontro Regional de Membros Afiliados da ABC/SP foi realizado nos dias 29 e 30 de novembro de 2012 na Universidade Presbiteriana Mackenzie, organizado pelo Comitê Regional, integrado pelos membros afiliados da ABC Adriano Andricopulo, Antonio José da Costa Filho, Carlos Eduardo Pellegrino Cerri, Hamilton Varela, Paulo Sergio Boggio, Thiago Mattar Cunha e Valtencir Zucolotto, com o apoio do vice-presidente regional da ABC para São Paulo, Adolpho Melfi .


Grupo de afiliados e o vice-presidente regional para São Paulo: Milton Ferreira de Moraes,
Thiago Mattar, Hamilton Varela, Andrea de Camargo, Adolpho Melfi,
Alicia Kowaltowski , Adriano Andricopulo, Frank Crespilho,
Alexandre Reily Rocha, Leandro Helgueira e Paulo Sergio Boggio

A cerimônia de abertura foi conduzida pelo afiliado Paulo Sergio Boggio, professor da Mackenzie, que compôs a mesa junto com Hamilton Varela e Adriano Andricopulo, além do decano de Pesquisa e Pós-graduação da Universidade Mackenzie, Moises Zilber.

Zilber parabenizou a iniciativa e agradeceu a oportunidade da Mackenzie sediar esse encontro. "Trazer todos esses pesquisadores destacados de tantas instituições renomadas para a nossa instituição reforça nossa intenção de dar prioridade à pesquisa, à busca do conhecimento." O decano destacou que para fazer um ensino de qualidade a universidade precisa de bons professores, que já tem. "Agora estamos buscando os bons alunos, oferecendo bolsas para os doutorandos com destaque acadêmico."

Regional ABC/Sul

O I Encontro Regional de Membros Afiliados da ABC/Sul foi realizado na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, nos dias 10 e 11 de outubro de 2012. A abertura foi conduzida pelo representante do Comitê Organizador, Eduardo Eizirik, e a mesa foi composta pelo vice-presidente regional da ABC Francisco Salzano  e pelo pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da PUC-RS, Jorge Audy (foto abaixo).

Eizirik agradeceu a colaboração do Programa de Pós-Graduação em Biologia Celular e Molecular da PUC-RS, do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (HCPA/UFRGS), da Tecnopuc e da própria ABC , que possibilitaram a organização da reunião. Salzano afirmou considerar a iniciativa de criação da categoria de membro afiliado uma das mais interessantes da ABC nos últimos anos. "Os temas escolhidos pelo grupo de afiliados para este encontro foi muito oportuno, pois todos nós queremos que a ciência brasileira alcance outro patamar e, para tanto, precisamos enfrentar os desafios que nos distanciam dessa meta." Audy declarou estar representando o reitor, que está no México, e afirmou a satisfação da PUC-RS em receber o encontro da ABC.


O Comitê Organizador: Juliano Ferreira (UFSM), Maria Martha Campos (PUC-RS),
Ida Schwartz (UFRGS), Pedro Hallal (Ufpel), Eduardo Eizirik (PUC-RS),
Ursula Matte (UFRGS) e Patricia Schuck (Unesc)

Abordando o passado, o presente e o futuro da ciência e seu desenvolvimento no Brasil, Salzano remeteu-se ao período colonial, citando as observações astronômicas feitas por mestre João, da equipe de Pedro Álvares Cabral, como o primeiro marco científico no país, seguido de outros acontecimentos históricos que foram construindo a linha do tempo da história da ciência no Brasil. Referindo-se aos dados do presente, Salzano ressaltou que o número de patentes no país é baixo, mesmo se comparado ao da Índia e da Coreia, países em desenvolvimento, como o Brasil. O número de pesquisadores por mil habitantes também está bem abaixo do que ocorre nos países desenvolvidos e o investimento do país em CT&I corresponde a 1,19% do PIB - muito melhor do que no passado, mas ainda muito baixo em relação aos países desenvolvidos. Observando os índices de crescimento do número de bolsas de estudo no país, Salzano apontou o crescimento das bolsas de produtividade em pesquisa e na iniciação científica (IC), que chamam atenção. "O número de bolsas de IC é destaque na América do Sul e no mundo."

Falando então sobre o futuro, Salzano levantou quais seriam necessariamente as metas do país para garantir um crescimento econômico continuado. "Em primeiro lugar, estabelecer uma rede de institutos de tecnologia, como o Tecnopuc, para proporcionar o desenvolvimento industrial, promovendo na prática a interação entre academia e empresa", apontou. No plano de governo, dez áreas foram priorizadas, por serem consideradas estratégicas - microeletrônica, tecnologias da informação (TICs), drogas medicinais, agrotecnologia, biotecnologia, TV digital, novos materiais, biocombustíveis e meteorologia. Estas áreas estão relacionadas aos esforços estratégicos específicos: o Programa Nuclear Brasileiro, o Programa Nacional de Atividades Espaciais, o Conselho Nacional de Meteorologia, ciência e tecnologia para a região amazônica, o nivelamento das diferenças regionais em desenvolvimento e uma cooperação internacional alternativa e incrementada.

A mensagem final de Salzano foi que a política de aquisição de "caixas pretas" tecnológicas no exterior deve ser abandonada. "O governo atual tomou uma atitude grandemente recomendável: investir em fontes brasileiras - especialmente cérebros - para romper o círculo vicioso do subdesenvolvimento. Esperemos que não haja mudanças nessa perspectiva, para que se possa realmente proporcionar um nível de vida melhor para toda a população brasileira", concluiu o vice-presidente regional da ABC.


(Elisa Oswaldo-Cruz para Notícias da ABC)



webTexto é um sistema online da Calepino