Página inicial > Membros > Acadêmicos > Carlos Clemente Cerri


Carlos Clemente Cerri (CERRI, C. C.)

Ciências Agrárias
Membro Titular
Ingresso em 1º de jan de 1900
Currículo
Link para a plataforma Lattes
E-mail

Carlos Clemente Cerri  é engenheiro agrônomo, graduado pela UNESP em 1971. Obteve seus títulos de Mestre em 1974 e de Doutor em 1979 em ciência do solo. Atualmente, é Professor Titular no Centro de Energia Nuclear na Agricultura da Universidade de São Paulo (USP), onde orienta estudantes de pós-graduação em pesquisas voltadas às variações nos estoques de Carbono no solo, emissão de gases do efeito estufa e sua mitigação em circunstâncias tropicais. Tem cerca de 100 trabalhos científicos publicados e é editor de 10 livros de circulação internacional. Formou mais de 40 Mestres e Doutores no Brasil e no exterior. A linha de pesquisa do Dr. Cerri foi concentrada inicialmente na dinâmica da matéria orgânica, particularmente na caracterização do húmus sob ecossistemas naturais e diferentes usos da terra. Desenvolveu, em 1985, um método para identificar a origem do carbono do solo baseado na relação isotópica 13C/12C dos resíduos vegetais, que continua sendo aplicado em pesquisas sobre os efeitos dos diferentes usos de terra sobre a qualidade do solo. Foi ainda um dos pioneiros na estimativa biomassa microbiana e sua atividade nos solos sob vegetação nativa e cultivados na América Latina. As técnicas de caracterização do húmus e dos resíduos vegetais, bem como da quantificação da biomassa microbiana do solo foram transferidas pelo Dr. Cerri não somente a outros institutos de todo o Brasil, mas também para outros países de América do Sul. As atuais linhas de pesquisa do Dr. Cerri estão relacionadas aos impactos da expansão da agricultura, às emissões de gases do efeito estufa e à degradação do solo. Coordena um projeto temático que abrange os temas mencionados e que está sendo executado na Amazônia Brasileira. Este projeto integra técnicas ambientais, como caracterização das propriedades do solo, sistema de informação geográfica, sensoriamento remoto e geoestatística, visando à projeção de cenários associados com a dimensão humana. Faz parte de vários comitês nacionais e internacionais, incluindo o Intergovernmental Panel of Global Change (IPCC) e o Tropical Soil Biology and Fertility (TSBF). É membro da Academia Francesa de Agricultura "l´Ordre de Palmes Académiques dans Agriculture", membro da "Chevalier" de França e da Ordem Nacional de Mérito Científico. Foi diretor do CENA entre 1991-97. Coordenou 51 projetos científicos nacionais e internacionais em agricultura e ciências ambientais, com concessões da União Européia (EU), National Science Foundation (NSF), NASA, Global Economic Falicities (GEF-UNEP), Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA), Instituto Interamericano de Pesquisa da Mudança Global (IAI). Conta também com o apoio de agências de financiamento nacionais como FAPESP, CAPES e CNPq. Desde 1988 coordena a cooperação bilateral com o Institut de la Recherche pour le Développment (IRD), que recepcionou mais de 20 investigadores franceses. Outros colaboradores oficiais são o Ecosystems Center do Marine Biological Laboratory (MBL), da Ohio State University (OSU) e da Colorado State University (CSU) dos EUA, além do Consejo Superior de Investigaciones Cientificas (CSIC) da Espanha. Colaboração com investigadores da Índia, Quênia, Jordânia, Países Baixos e Inglaterra foram possíveis graças ao projeto intitulado "Avaliação do estoque orgânico do carbono do solo e mudanças na escala nacional".




webTexto é um sistema online da Calepino