A Academia Brasileira de Ciências (ABC), em parceria com as Academias Nacionais de Engenharia do Brasil (ANE) e dos Estados Unidos (NAE), promoveu, entre os dias 5 e 8 de agosto, o workshop Grand Challenges Scholarship Program (GSCP), na Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O GCSP tem sua origem nos 14 grandes desafios para a engenharia, definidos pela NAE em 2008, que se apresentam como a primeira visão global para a engenharia na história. São eles: aprendizado personalizado avançado; tornar a energia solar econômica; realçar a realidade virtual; fazer a engenharia reversa do cérebro; fazer a engenharia de melhores medicamentos; avançar na informática da saúde; restaurar e melhorar a infraestrutura urbana; ciberespaço seguro; fornecer acesso à água limpa; fornecer energia gerada por fusão; prevenir o terror nuclear; gerenciar o ciclo do nitrogênio; desenvolver métodos para o sequestro de carbono; e fazer a engenharia das ferramentas para a descoberta científica.

Até abril de 2018, o GCSP estava em operação ou sendo desenvolvido em 122 universidades estadunidenses e 33 universidades em outros países. Para participar, as instituições devem criar um programa focado nos grand challenges e desenvolver um programa para que seus estudantes desenvolvam as cinco competências definidas pela NAE: talento; multidisciplinaridade; negócio/empreendedorismo viável; multiculturalismo; e consciência social.

O objetivo é que os estudantes sejam preparados para problemas reais e urgentes que precisam de solução, oferecendo uma visão clara para trabalhos e oportunidades que os aguardam na engenharia.

Os GCSP workshops são organizados em torno de três metas: inspirar os stakeholders a estabelecer os programas nas instituições de ensino; engajar governo, indústria e corporações multinacionais na iniciativa; e apoiar o intercâmbio e cooperação entre os participantes do GCSP no país sede e no exterior.

Durante os quatro dias de workshop, palestrantes internacionais apresentaram os resultados da implantação do GCSP nas instituições de ensino do exterior e palestrantes brasileiros falaram sobre os desafios para o ensino da engenharia no país. Todas as discussões convergiram para uma perspectiva global dos desafios da engenharia no século 21 e culminaram, no último dia de evento, em uma atividade de formulação de propostas para a integração ao GCSP.

Participaram do workshop a vice-presidente da ABC, Helena B. Nader, e os Acadêmicos Alvaro Prata, Edson Watanabe, Evaldo VilelaJosé Roberto Boisson de Marca, Paulo Artaxo e Valder Steffen Junior. Também integraram a programação B.L. Ramakrishna, diretor da NAE – GCSP Network, e Richard Miller, presidente da Franklin W. Olin College of Engineering, além de empresários, educadores e estudantes brasileiros.

Presidente do Comitê Organizador do GCSP Workshop – Brasil, a Acadêmica Virginia Ciminelli afirmou que o evento foi muito produtivo e destacou que diversas instituições brasileiras registraram interesse no programa. “Existe de fato uma oportunidade para várias instituições no Brasil se engajarem nesse programa, e essa plataforma catalisar uma colaboração maior entre as próprias instituições no país e do país com o exterior”.

 

Leia mais sobre o evento e confira a galeria de fotos!

Uma nova geração de engenheiros focados nos desafios globais do século 21

Em conferência no GCSP workshop, o presidente da Olin College of Engineering, Richard Miller, relatou como a educação deve acompanhar as transformações do século 21.

Da China aos Estados Unidos, as experiências da implementação do GCSP

A vice-decana da SGE (Beihang University, China), Lueny Morell, e Siena Applebaum, estudante de engenharia mecânica da USC, falam de suas diferentes perspectivas sobre o programa.

Os desafios brasileiros a serem enfrentados pelo GCSP

Cientistas, professores e empresários brasileiros discutiram, durante o GCSP workshop – Brasil, os desafios para a formação da próxima geração de engenheiros.