Organização internacional criada em 1983 na cidade de Trieste, Itália, a Academia Mundial de Ciências (TWAS) era conhecida como Academia de Ciências do Terceiro Mundo (Twas, na sigla em inglês) até 2004 e como Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento até 2012. Seu objetivo é promover o avanço da ciência e da engenharia para a prosperidade sustentável no mundo em desenvolvimento.

Entre 27 e 29 de novembro foi realizada em sua sede, em Trieste, sua 14ª Conferência, em conjunto com a 28ª Reunião Geral. O programa envolve um simpósio de ciência de fronteira e cerimônias para homenagear alguns dos mais importante cientistas do mundo em desenvolvimento, assim como a posse dos novos membros eleitos nos últimos dois anos, a entrega de prêmios e títulos outorgados na reunião anterior; e reuniões paralelas do Painel Consultivo de Gênero da TWAS e da Rede de Jovens Afiliados da TWAS. Participaram do evento mais de 300 pessoas, entre cientistas, formuladores de políticas públicas e jornalistas.

Mesa de abertura: o secretário geral da TWAS, Ajay K. Sood; Bai Chunli, presidente; e o diretor-executivo Romain Murenzi

Durante a reunião foram anunciados os premiados de 2019, num total de 16 pesquisadores de 18 países. Eles receberão o prêmio na próxima reunião da TWAS, programada para 2020. Nesta ocasião também tomarão posse os 46 novos membros anunciados, dentre os quais cinco brasileiros: Angela Wyse, Daniel Ugarte, José Marengo, Mercedes Bustamante e Yoshiharu Kohayakawa. Vale ressaltar que para ser eleito para a TWAS, o cientista tem que ser membro da Academia do seu país. Saiba mais sobre a posse.

A mesa da Reunião Geral foi composta por Ylann Schemm (Elsevier), no púlpito; o diretor-executivo da TWAS Romain Murenzi; a Conselheira Regional de Pesquisa, Alessia Rosolen; o representante do Ministério do Exterior e Cooperação Internacional Fabrízio Nicoletti; o presidente da TWAS, Bai Chunli; a representante da Unesco Flávia Schlegel; o representante da National Academy os Sciences (EUA) Vaughan Turekian; o diretor do Abdus Salam International Centre for Theoretical Physics (ICTP), Fernando Quevedo e a representante da Sweden International Development Cooperation (SIDA) Eva Ohlsson.

O presidente da ABC, Luiz Davidovich, foi eleito secretário-geral para o período 2019-2021, substituindo o indiano Ajay K. Sood. O cargo reflete o protagonismo do Brasil na instituição. O novo presidente eleito é Mohamed Hassan, ex-secretário executivo da TWAS. Também foi decidido que o evento deixará de ser anual, passando a ser realizado a cada dois anos.

Receberam seus prêmios os  agraciados em 2016 e 2017. Dentre os brasileiros premiados, estavam presentes Daniel Ugarte, Lorenzo Justiniano, Luisa Lina Villa e Marilda Sotomayor. Foram empossados os eleitos na reunião anterior, estando presentes Carlos Menck, Cesar Victora, Eliete Bouskela, Lorenzo Justiniano, Siu Mui Tsai, Sylvio Canuto, Valderez Ferreira e Vera Gaiesky.